Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Clássico da literatura ganha versão para as ruas

sábado, 15/06/2013, 12:35 - Atualizado em 15/06/2013, 12:35 - Autor:


Em cena, o morador de rua e o gari numa versão contemporânea e muito particular de Quixote e Sancho, os personagens principais do clássico da literatura universal Dom Quixote, de Miguel de Cervantes, e que ganham vida no centro urbano de Belém com o espetáculo Quixote. A peça será apresentada hoje e amanhã no anfiteatro da Praça da República.


O roteiro do espetáculo se apoia em dois pilares fundamentais. De um lado, a estrutura dos palhaços clássicos, com suas rotinas cômicas inseridas no contexto dos personagens, e do outro lado, a fidelidade a textos originais da obra de Cervantes, no que é possível ser fiel, a partir de tradução reconhecida - o espetáculo foi todo baseado na tradução de Eugênio Amado.


Um Quixote insano que precisa de um Sancho para manter-se conectado de alguma maneira ao mundo real, e um Sancho limitado ao concreto, para quem é imprescindível a janela para o onírico, oferecido por seu Quixote. A ‘desculpa’ para a trama, é uma promessa: assim que o mundo for conquistado, as donzelas libertadas, o mal desfeito e as injustiças aplacadas, nosso Sancho ganhará uma ilha de presente, para nela viver tranquilo o resto de seus dias. Se o público tiver sorte, esse dia nunca chegará. 


O diretor do espetáculo, Alexandre Roit, idealizou uma versão para rua, reduzindo a complexa estrutura original para apenas dois personagens: um gari e um morador de rua. Longe de buscar soluções para problemas sociais, são apontadas possibilidades dramáticas e de conflitos entre o espírito livre de um Quixote, representado pelo nosso “cidadão em situação de risco” e um Sancho enquadrado nas rígidas normas de conduta social, aqui encarnado pelo gari. Esse compacto vale-se de alguns expedientes oriundos do mundo dos clowns e da arte circense. Entre os objetos de cena destaca-se um tambor de lixo que, fazendo as vezes dos baús de bugigangas, reúne os demais apetrechos manipulados ao longo da montagem.


(Diário do Pará com assessoria)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS