Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Em debate as alterações culturais e as tecnologias

quarta-feira, 29/05/2013, 08:47 - Atualizado em 29/05/2013, 08:47 - Autor:


Começa hoje o colóquio “TecnoMídia, TecnoCorpo, TecnoBrega”, na Casa Fora do Eixo da Amazônia, em Belém, que tem como centro das discussões as novas tecnologias enquanto promotoras de alterações no cenário e na circulação da cultura. O evento segue até amanhã, com início às 19h e transmissão ao vivo pelo site. www.postv.org.


O objetivo do colóquio é trocar ideias e experiências sobre questões que envolvem as mídias e as tecnologias atuantes na cultura, como, por exemplo, o tecnobrega. O ritmo é considerado hoje como um dos principais fenômenos tecnológicos e midiáticos de tecnomídia, no qual os principais agentes são as aparelhagens, os DJs, os artistas, os vendedores de rua, as casas de shows, entre outros agentes. 


“A ideia é olhar para o tecnobrega como tecnomídia, que é um fenômeno cultural no âmbito da cidade com a música. Com a tecnologia há um status outro, que é a tecnomídia, e esse movimento está indo do popular para a academia. O colóquio foi a maneira encontrada para dar prosseguimento às ações da Universidade das Quebradas, um projeto de extensão da professora Heloisa Buarque de Holanda, da UFRJ, aqui em Belém. O projeto está sendo expandido e realizado em outras regiões do país”, explica a pesquisadora paraense Val Sampaio.


O DJ Waldo Squash é um dos convidados do evento e vai explicar como funciona o processo de produção e distribuição da música, além de falar sobre o trabalho da Gang do Eletro, fazendo um paralelo do antes e depois. “O trabalho da Gang antes era feito de maneira informal. A gente acabava fazendo mais músicas do que shows. Hoje acontece justamente o contrário”, conta Waldo.


Ponte entre a universidade e as ruas


O grupo atua hoje ao lado de uma gravadora que cuida da produção e distribuição da maior parte das músicas e também do CD. Mas algumas características do início da Gang ainda são mantidas. “A gente começou a carreira fazendo músicas para as equipes das festas de aparelhagem e é algo que fazemos até hoje, não queremos abrir mão”, diz o DJ. 


Waldo Squash participa da mesa redonda “Música + ruído + tecnomídia”, às 19h do dia 30, ao lado do professor Mauro Maia, da Universidade da Amazônia. 


A programação do colóquio inclui mesas redondas que abrangem as pesquisas desenvolvidas nas universidades, com a participação dos professores Maurício Costa, da UFPA com doutorado em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP), e de Mauro Maia, professor da Universidade da Amazônia (Unama) e mestre em Ciências Sociais pela UFPA. 


E, unindo o popular aos aspectos acadêmicos, o evento terá nas mesas redondas representantes dos atuais movimentos de cultura tecno no Pará, como a cineasta Priscila Brasil, produtora da cantora Gaby Amarantos, e o DJ Waldo Squash, produtor e cantor da banda Gang do Eletro, que também participa fazendo uma apresentação de música durante o colóquio. O artista multimídia Nacho Durán é outro convidado para o evento e irá realizar o set TeleKommando – TecnoKommando A/V. 


SOBRE O PROJETO


A ação faz parte do Projeto Universidade das Quebradas em Rede, que amplia a experiência do projeto sediado no Rio de Janeiro pela Universidade das Quebradas (UQ) e coordenado por Heloisa Buarque de Holanda, da Associação Cultural de Estudos Contemporâneos (ACEC), em parceria com o Programa Avançado de Cultura Contemporânea (PACC/UFRJ), desde 2009. 


Em Belém, o colóquio é uma realização do projeto Territórios Híbridos, da Faculdade de Artes Visuais do Instituto de Ciências da Arte, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e tem coordenação e mediação de Val Sampaio, artista e pesquisadora de tecnomídia, professora da Faculdade de Artes Visuais e do mestrado em Artes da UFPA. A ação busca uma articulação de produção e conhecimento dentro e fora da academia, permitindo que mais pessoas possam circular e se integrar com o que o que está sendo produzido e discutido nos dois ambientes. 


O projeto Universidade das Quebradas em Rede expande as ações do projeto matriz por meio de uma rede que agrega cinco polos acadêmicos em diferentes regiões do país: Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Universidade Federal de Goiás (UFG) e Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). (Com assessoria) 


PROGRAMAÇÃO 


Hoje


19h – Mesa redonda: “Circuito + Tecnologia + Identidades”


Debatedores: Maurício Costa e Priscila Brasil 


21h – Set com VJ Nacho Durán - TeleKommando – TecnoKommando A/V


 


Amanhã 


19h – Mesa redonda: “Música + Ruído + Tecnomídia”


Debatedores: Mauro Maia e DJ Waldo Squash


21h – Set com DJ Waldo Squash 


 


PARTICIPE


Colóquio “TecnoMídia, TecnoCorpo, TecnoBrega”. Hoje e amanhã, a partir das 19h, na Casa Fora do Eixo Amazônia (rua Aristides Lobo, 292, bairro da Campina - Belém). Entrada franca. Informações: 8107-8710.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS