Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

A inesquecível Gilda revive no Cine Olympia

domingo, 26/05/2013, 11:30 - Atualizado em 26/05/2013, 11:30 - Autor:


Nunca houve uma mulher como Gilda, diz a sinopse do filme. A obra, em que Rita Hayworth interpreta a personagem título, será exibida hoje na sessão Cinemateca, às 16h, no Cinema Olympia em parceria com a Associação de Críticos do Cinema do Pará. A entrada é franca.


No longa-metragem, Gilda é a mulher de Ballin Mundson, proprietário de um clube noturno de Buenos Aires, que é amigo de Johnny Farrel, vivido por Glenn Ford. Quando Farrel é promovido a gerente do estabelecimento ele é logo apresentado a Gilda, com quem teve um caso no passado. A partir daí, o amor ainda existente entre os dois volta a ser experimentado.


“Gilda” (1946), dirigido por Charles Vidor, é um dos principais representantes do cinema noir, considerado ousado para a época em que foi lançado. Algumas cenas interpretadas por Rita fizeram aumentar a bilheteria do filme. A atriz, conhecida como Senhora Orson Welles, era casada desde 1943 com o diretor do clássico “Cidadão Kane”.


A sessão cinemateca de hoje também é uma homenagem a Antônio Silva, fã de “Gilda” e distribuidor da Columbia Pictures, responsável pela chegada dos filmes hollywoodianos ao norte e nordeste do Brasil e grande apoiador do Cinearte, fundado por Alexandrino Moreira em Belém.


Antônio Silva era um dos mais antigos programadores cinematográficos em atividade no país e começou a trabalhar nessa área logo depois de voltar da segunda guerra mundial. Chegou a passar por várias distribuidoras e se firmou como responsável pelos filmes da Columbia, onde cuidou do lançamento de “Gilda”, seu filme favorito. Antônio faleceu neste mês em decorrência de complicações cardíacas.


NÃO PERCA


Sessão Cinemateca exibe “Gilda” (1946), de Charles Vidor. Hoje, às 16h, no Cinema Olympia (avenida Presidente Vargas, 918). Entrada Franca. Informações: 3230-5380.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS