Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

Reduto boêmio, bar The Beatles completa 13 anos

sábado, 18/05/2013, 12:12 - Atualizado em 18/05/2013, 12:12 - Autor:


Quando investiu recursos próprios e montou, na garagem da própria casa, no bairro do Guamá, um bar temático em 2000, o sociólogo João Cardoso finalmente deu fim à ideia fixa que o perseguia. “Tanto queria que ao longo da vida fui guardando pôster, imagens, vinis, coisas que pudesse usar para decorar o bar e montar esse visual diferente”, conta. No ano seguinte, o bar mudou de endereço e desde então pertence à geografia boêmia da Cidade Velha, no ponto em que a rua Cesário Alvim e a travessa Bom Jardim se encontram. Hoje, o The Beatles completa 13 anos e, como presente, ganhou do proprietário nova pintura e faixa luminosa com imagens históricas do quarteto britânico que dá nome ao local. 


Com o lugar fechado para reparos, João recebeu a reportagem do caderno Você, na noite da última quinta-feira, ali mesmo na calçada. Sentado, olhando o vai e vem dos carros, na companhia da esposa, discorria sobre o estabelecimento como quem defende a honra de um filho. O cheiro forte de tinta fresca ainda exalava no ar. As portas fechadas e a calçada vazia destoavam do habitual cenário alegórico da boemia alternativa da noite de Belém. “Ter um bar é para quem gosta de beber. Só assim você vai entender os clientes e lidar com as situações. Eu bebo com todos, já se tornaram amigos”, diz João. São clientes em busca de boa música, o principal motivo de João para abrir o espaço. “Aqui só toco vinis, meus clientes vem pra cá por que sabem que em algum momento da noite vai tocar Gal, Chico, Beatles, Led Zeppelin”, reforça o dono de uma coleção de mais de seis mil discos de vinil. O recanto carrega um pedacinho de tudo aquilo que ele e os clientes-amigos sempre desejaram. “Montei uma estrutura a qual eu gostaria de frequentar e sabia que, como eu, existiam outros por aí”, argumenta “Aqui nunca tocou CD”, garante.


O bar é frequentado por tribos diversas, mas os beatlemaníacos são os mais assíduos. “É quase um fã clube. A gente se reúne pra beber, conversar sobre a banda, sobre a cena do rock, da MPB. Sou fã dos caras há 35 anos, Beatles é o nosso carro-chefe”, diz João, que evita dizer a idade verdadeira. “Pode pôr aí que tenho 45 anos. O pessoal vai rir, mas eu disse há um tempo pra um repórter que eu tinha 41, bora acrescentar uns anos, né?”, sugere em meio a uma discreta gargalhada.


Algumas figuras ilustres já estiveram por lá. “Quando o Charles Gavin, dos Titãs, tava vindo pra Belém pra gravar o programa pro Canal Brasil, ele conheceu um paraense frequentador daqui no avião. Disse que queria descer e ir direto pra um bar. O cara trouxe ele pra cá. Foi bem legal. A Élida Braz trouxe o Serguei há uns três anos também. O Edmar, do Mosaico de Ravena, de quem sou amigo, já veio por aqui”, lembra.


EXPERIÊNCIAS


O The Beatles também abriga a concentração do bloco “Mangal dos Urubus” - uma crítica ao Mangal das Garças-, que percorria as ruas da cidade no período carnavalesco. 


“Ele sai na data do Carnaval mesmo, que é pra incentivar a população a ficar em Belém. Afinal, costumeiramente as pessoas saem rumo aos balneários do estado e se afastam da cidade. Queremos garantir que quem fique tenha lugar para se divertir”, explica João Cardoso que também coordena o bloco. A mulher, Selma Venâncio, que ouve atentamente, a conversa dispara: “Conta pra ele do casamento!”. Prontamente João muda o assunto e recorda do Carnaval desse ano. “Teve um casal que marcou o casamento deles aqui. Vieram vestidos de noivos e casaram durante o período de carnaval aqui mesmo no bar. Usaram a nossa estrutura, tinham os padrinhos, o celebrante, tudo certo, foi tudo de verdade mesmo. Fizeram aqui porque são frequentadores e queriam algo diferente. Veja bem, não foi durante o bloco, mas durante o período carnavalesco”, reitera.


“Um dia vou cansar, eu sei. Mas por enquanto tenho todo o pique do mundo pra dar continuidade ao bar. Sempre acreditei que ia dar certo. Arrisquei consciente de que não tinha como fracassar”, declara. João comemora o aniversário do estabelecimento agradecendo aos clientes que defendem o lugar como um bar que mantém a mesma proposta desde o início. “Tem gente que diz: pelo amor de Deus, não muda nada, se melhorar estraga!”, comenta. 


Lembranças e histórias de afeto 


O proprietário lembra que em uma das datas apontadas por antigos profetas como o fim do mundo, um cliente escreveu à caneta na parede do bar a frase: “pronto, o mundo já pode acabar, cheguei”. Para ele, é o que define a relação das pessoas com o The Beatles.


No pátio central do local, no chão, João escreveu com as próprias mãos, em mosaico de lajotas, a palavra “Imagine”, a canção de John Lennon. “É uma imitação e homenagem ao que fizeram para o grupo lá no Central Park, nos Estados Unidos”, diz. No último show do Paul McCartney, em Fortaleza, João e uma caravana de 20 pessoas, todas frequentadoras do bar, marcaram presença. 


COMEMORE


Aniversário de 13 anos do Bar The Beatles, hoje a partir das 19h, com show da banda Beatles Forever. Rua Cesário Alvim, 660 - esquina com a Travessa Bom Jardim. Cidade Velha, em frente ao Ciop. Informações: 8199-5479 .


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS