Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

E o Pará vai para Cannes

quarta-feira, 15/05/2013, 07:37 - Atualizado em 15/05/2013, 07:37 - Autor:


“Minha alma emergente me obriga a postar várias fotos direto de Cannes rindo pra trás”, brincou Gaby Amarantos em sua página no Twitter ao anunciar que fará show durante a programação do prestigiado Festival de Cannes , que chega hoje à 66ª edição. A apresentação será fechada só para convidados, mas a musa do tecnobrega preparou momentos especiais com figurino assinado pelo estilista mineiro Victor Dzenk.


O show na Costa Azul Francesa será realizado no chamado “Momento Brasil” do evento. Segundo Gaby, a apresentação será na praia, e vai contar com parte da banda-base que a acompanha na turnê pelo Brasil, assim como as backing vocals. 


Pelo palco do festival, já passaram artistas como a americana Lady Gaga. Acompanhada de alguns dançarinos, a cantora interpretou a canção “Judas” na edição de 2011. Coincidentemente, Gaga é uma das inspirações de Gaby, admiração que se traduz no figurino exagerado e estética colorida. O sertanejo Michel Teló levou seu “Ai, se eu te pego!” para o festival no ano passado e foi muito assediado pelo público local. A participação de Gaby em Cannes, na próxima segunda-feira, 20, abre a temporada de shows que a cantora vai realizar no exterior. Ela deve sair em turnê pela Europa e pelos Estados Unidos a partir de junho. 


Estrelas do cinema, cineastas, produtores e jornalistas dos quatro continentes se preparam para o festival, que começa hoje e segue até o dia 26 deste mês. Entre as estrelas aguardadas no festival, a maior festa do cinema mundial, estão Leonardo de Caprio, Carey Mulligan, Benicio del Toro, Ryan Gosling, Marion Cotillard, Emma Watson, Matt Damon, Michael Douglas, James Franco e Robert Redford. Cannes também aguarda Justin Timberlake, Forest Whitaker, Berenice Bejo, Orlando Bloom, Garret Hedlund e Joaquin Phoenix, além de cineastas consagrados, como Roman Polansky e os irmãos Coen.


Este ano, Cannes quebrou uma tradição e escolheu como filme de abertura um longa-metragem que já estreou nos Estados Unidos: O Grande Gatsby, do australiano Baz Luhrmann, que dividiu a crítica. Baseado no livro clássico de Francis Scott Fitzgerald, o filme, que tem DiCaprio como protagonista, garante que a cerimônia de abertura será tão luxuosa quanto a grande produção de Hollywood, que custou mais de 100 milhões de dólares. 


Gaby não será a única paraense a levar sua arte para Cannes. A cineasta Zienhe Castro está entre os selecionados para a mostra Short Film Corner do Festival com o curta “Promessa em Azul e Branco”. A produção é uma adaptação livre do conto homônimo da escritora Eneida de Moraes (1904-1971). Gravado em abril do ano passado, em Florianópolis, o curta foi Premiado com edital de incentivo do Ministério da Cultura.


No tapete vermelho, Eneida 


O filme revela Eneida como uma garota que padece graças a uma promessa feita pela avó para Nossa Senhora de Nazaré. A promessa obriga a garota a usar apenas as cores azul e branco até completar 15 anos de idade. 


“Quando estava estudando cinema no Rio em 2001 iniciei uma pesquisa sobre artistas do Pará. A intenção era dar luz a mulheres pouco reconhecidas, que haviam se expressado por meio de alguma linguagem artística e que haviam contribuído efetivamente com o fomento e a difusão da cultura paraense. Fiquei apaixonada pela escrita simples e ao mesmo tempo carregada de emoção de Eneida de Moraes”, revela Zienhe Castro, sem esconder o entusiasmo. “Para mim essas participações servem como balizadores, que apontam claramente que o cinema paraense faz coro à evolução do audiovisual nacional. Participar de um festival como esse só nos rende bons frutos, uma repercussão importante para dar força à produção local”, completa Adriano Barroso, que assina o roteiro do curta. 


A Short Film Corner configura um espaço profissional dedicado aos encontros, aos intercâmbios e à promoção do filme curto. Desde 2004, é lá que produtores e diretores apresentam seus filmes em sessões exclusivas para convidados, fazem reuniões e tomam medidas decisivas para suas carreiras futuras. A seleção é feita através de inscrição pelo site do Festival.


Esta não é a primeira vez que a produção audiovisual do estado será exibida em Cannes. “Juliana contra o jambeiro do diabo pelo coração de João Batista”, com direção de Roger Elarrat, foi selecionado para a edição do ano passado. Com duração de 21 minutos, o curta também participou da mesma mostra paralela (Shortfilm Corner) que o filme de Zienhe foi selecionado. Em 2011, o representante paraense foi o curta “Matinta”, de Fernando Segtowick. Em 2001, apenas um curta-metragem brasileiro representou o país em uma das prestigiadas mostras de Cannes e foi um dos nossos, “As Mulheres Choradeiras”, de Jorane Castro, foi exibido como parte da Quinzena dos Realizadores. 


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS