Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Cultura

Cultura

IAP vai lançar 'Os Mocambeiros'

quinta-feira, 25/04/2013, 07:39 - Atualizado em 25/04/2013, 07:39 - Autor:


Dono de uma vasta obra sobre o negro e sua história no Pará, Vicente Salles, falecido em março deste ano, deixou de presente um legado inédito. Uma dessas obras, “Os Mocambeiros”, será apresentada ao público com o selo do IAP. O lançamento contará com a presença de Marena Salles, viúva do autor.


“Os Mocambeiros” traz ao público a dor vivenciada pelos negros no período da escravidão no Pará e suas lutas de sobrevivência e fuga. A narrativa ressalta uma geografia em descoberta, cercada de exuberância e insalubridade. De acordo com o autor, para escapar dos horrores da escravidão em fazendas de grandes proprietários rurais do Baixo Amazonas, muitos negros procuraram refúgio em locais distantes, perigosos e impróprios à sobrevivência humana. Nessa busca embrenharam-se na floresta, léguas acima das cachoeiras do rio Trombetas, o mais longe possível das terras férteis e do alcance dos capitães do mato, “caçadores de negros fujões”.


Esses espaços – os mocambos – conquistados, desde 1812, para a defesa precária da liberdade, voltaram à cena quase dois séculos depois, quando a região do Trombetas se tornou palco da cobiça internacional pela bauxita, matéria prima do alumínio. Assim, o autor de “O Negro do Pará” de 1971, volta ao tema neste inédito “Os Mocambeiros”. Neste novo livro, Vicente Salles mergulhou em arquivos e refez caminhos percorridos por estudiosos e exploradores que, durante o regime escravagista tiveram contato com os quilombos da região do Baixo Amazonas. 


Trabalhos de Ferreira Pena, Tavares Bastos, Padre Nicolino, Orville Derby, Henrique e Otília Coudreau, Gastão Cruls, Arthur Cezar Ferreira Reis e de muitos outros foram revisitados pelo historiador. Esse levantamento, feito com a lupa de pesquisador atento às minúcias, resultou em uma série de artigos publicados esparsamente no jornal A Província do Pará, em Belém.


SENSIBILIDADE


A esse trabalho, revisto e acrescido do ensaio inédito ‘Quilombos na Amazônia, um enfoque interdisciplinar’ e da ‘Memória Bibliográfica dos Quilombos na Amazônia’, Vicente Salles agrega a sensibilidade de poeta, filósofo, musicólogo e folclorista para resgatar o homem, invisível no tempo e no espaço e para desconstruir a farsa da “descoberta” de negros no Trombetas, montada para preparar a ocupação da terra por especuladores estrangeiros, como o húngaro Kálman Somody, e o começo da exploração da bauxita pela Mineração Rio do Norte, subsidiária da canadense Alcan, considerada a segunda maior produtora de alumínio no Ocidente.


Segundo o pesquisador, “os negros estavam ali, esquecidos de muitos, mas senhores antigos da terra, habitantes de um ou dois séculos, sei lá, gerações e gerações de brasileiros humilhados e fustigados por qualquer besteira, sofrendo os horrores da escravidão”. 


PARTICIPE 


Lançamento de “Os Mocambeiros” de Vicente Salles, com a presença de Marena Salles. Quinta-feira, 02 de maio, às 18h, no Ponto do Autor da Feira do Livro, 2º andar do Hangar.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS