Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
Círio

Falta de água afeta seis área da Grande Belém

terça-feira, 25/04/2017, 08:31 - Atualizado em 25/04/2017, 08:31 - Autor:


Quem mora no bairro da Campina, no distrito de Icoaraci, em Belém, e não tem poço artesiano sofre com a falta de água há pelo menos três meses. A autônoma Leiliane Pacheco, 25, afirma que as torneiras ficam cheias somente durante a madruga. Mas, como se já não bastasse a escassez, a água, quando aparece, ainda é fraca, suja e não atende às necessidades domésticas. “A água não presta. É só ferrugem e barro. Não dá para aproveitar em quase nada”, reclama a moradora.

Para realizar suas atividades diárias, Leiliane consegue aparar em baldes a água que chega às torneiras mais baixas durante a madrugada. No preparo das refeições, ela precisa ferver esse líquido. Mas, para beber, é necessário comprar cerca de dois garrafões de 20 litros por semana. “É uma agonia. Tem dia que não consigo lavar louça, roupa e nem tomar banho. Tem de esperar voltar mesmo. Um problema crônico que ninguém resolve”, detalha a moradora da rua Mestre Antonio, mais conhecida como 1ª Rua da Campina.

Com a autorização do vizinho, o autônomo Luiz Mariano, 58, fez uma adaptação com um cano para conseguir ter acesso ao poço artesiano da casa ao lado. Segundo ele, os transtornos que os moradores passam devido à falta d’água são antigos. “Esse problema é sério, já tem uns dois anos. Até deixei de pagar conta de água porque é desse jeito: a gente não tem serviço de qualidade”, critica.

A vendedora de lanche na feira do bairro da Campina, Cristina Barbosa, 37, não se acostuma com o sofrimento diário provocado pela escassez da água. Há três meses ela enfrenta dificuldades para realizar as tarefas domésticas e conseguir preparar o alimento que comercializa. “O jeito é comprar água mineral. Um gasto a mais que a gente não estava preparando. Não lembro quando foi a última vez que tomei banho de chuveiro.”

Em março, os bairros do Cruzeiro, Agulha e Ponta Grossa, em Icoaraci, retrataram o mesmo sofrimento.

ANANINDEUA

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) disse que, desde a manhã de ontem, moradores dos conjuntos Cidade Nova I, II, III, VIII e IX ficaram sem água. Isso porque o conjunto motor bomba nº 4 da elevatória da Cidade Nova, em Ananindeua, apresentou problema e parou de funcionar. A equipe de manutenção transportou o equipamento para a oficina de manutenção da Cosanpa no Parque do Utinga, em Belém, para fazer o reparo. Até o fechamento desta edição o abastecimento não havia sido normalizado.

PARA ENTENDER

A Cosanpa informou que o bairro da Campina é uma das áreas que a empresa recebeu do extinto Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Belém (Saaeb) com problemas operacionais.

A companhia viu a necessidade de construir um novo poço no sistema de Icoaraci e isso só será feito após a conclusão da perfuração de um novo poço que já está sendo feita no Bengui e deve ser concluída em maio deste ano. Depois iniciará a perfuração do poço em Icoaraci.

(Michelle Daniel/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS