Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$
Círio

Saúde pública vai de mal a pior em Icoaraci

sexta-feira, 11/11/2016, 07:37 - Atualizado em 11/11/2016, 07:37 - Autor:


O atendimento na saúde pública, em Icoaraci, está cada vez mais precário. Foi o que constatou o Conselho Estadual de Saúde ao visitar 4 unidades de saúde deste distrito de Belém, na semana passada. “Há uma falta de compromisso e de manutenções preventiva e corretiva nas unidades visitadas”, afirma o diretor do Sindicato dos Médicos do Pará (Sindmepa), João Gouveia, que integra o Conselho.

Foram visitadas a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), a Unidade Municipal Básica de Saúde, o Abelardinho (onde funcionam os atendimentos do Abelardo Santos) e as obras do novo Hospital Abelardo Santos. Na UPA, por exemplo, no bairro Parque Guajará, foi constatado que é feito atendimento de urgência e emergência. Porém, deveria atender apenas os casos de alta e média complexidade. “Na UPA acabam atendendo a todos os casos, por causa da superlotação das outras unidades de saúde”, diz. 

Na UPA, está sendo concluída uma reforma, com orçamento de quase R$ 300 mil, iniciada em março deste ano e com prazo previsto para 15 de dezembro próximo. Apesar disso, o Conselho observou deficiências na infraestrutura. “Encontramos problemas no piso, além de falta de material e de medicamentos”, afirma Gouveia.



Em seguida, a comissão foi até as obras do Hospital Abelardo Santos, na avenida Augusto Montenegro. A construção dos 10 andares do hospital teve nício em 2013. Porém, as obras estão atrasadas. O 1º prazo de entrega terminou em março de 2015, mas foi adiado para julho deste ano. Entretanto, não foi cumprido e, agora, o prazo de entrega é dezembro de 2017. “As obras não estão paradas, mas andam a passos de tartaruga”, afirma Gouveia.



Na unidade municipal, reclamação é geral. (Foto: Mauro Ângelo/Diário do Pará)


RECLAMAÇÃO


Moradora das proximidades, a frentista Arlete Chaves, 56, fala que não vê grande movimento de trabalhadores. “É um descaso. Quem precisar de saúde precisa enfrentar o trânsito e correr para Belém porque, em Icoaraci, não tem saúde pública”, reclama.

Enquanto o hospital não é inaugurado, os pacientesrecisam recorrer à unidade onde funciona temporariamente as atividades do Abelardo Santos, o Abelardinho, como é conhecido. Lá, foi o único local visitado onde o Conselho não viu grandes problemas. Porém, como é pequeno, muitos pacientes têm de ir para a Unidade Municipal Básica de Saúde de Icoaraci, que fica superlotada, segundo denúncias feitas ao DIÁRIO (veja ao lado). Segundo Gouveia, a unidade precisa de uma reforma. “A urgência e emergência da unidade está muito precária, não tem o suporte básico e mínimo de vida”, afirma, ao destacar que o atendimento é desorganizado. 





Segundo ele, os conselheiros que fizeram a vistoria farão um relatório. O documento será entregue à Prefeitura de Belém e ao Governo do Estado. “O governador Simão Jatene precisa dar uma resposta. Fazem tanta propaganda e não investem dinheiro o suficiente para agilizar as obras do Abelardo”. O Governo diz que, em visita realizada pelo Conselho Estadual de Saúde nas instalações do Abelardo Santos, foi aprovada a concepção do projeto executado pelo Governo.

(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS