Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
Círio

Corda do Círio será puxada por 7.600 promesseiros

quinta-feira, 06/10/2016, 07:40 - Atualizado em 06/10/2016, 10:24 - Autor:


Um dos grandes símbolos do Círio de Nazaré, a corda deverá ser puxada por pelo menos 7.600 promesseiros neste ano, nos 3,6 mil quilômetros de procissão no próximo domingo, em Belém. O cálculo é do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese/PA) e leva em consideração uma fórmula que vem sendo aplicada desde 2001 (confira como o Departamento chegou a estes números no box ao lado). A corda foi incorporada ao Círio há 161 anos. Em 1855, as cordas foram atreladas à berlinda para que os romeiros a puxassem, a fim de que a procissão seguisse sem os transtornos causados por enchentes às proximidades do Ver-o-Peso.

Ainda segundo os estudos do Dieese/PA, a introdução dela na procissão desagradou, na época, as famílias abastadas, que seriam obrigadas a acompanhar a procissão a pé, em vez de usar os veículos e cavalos a que estavam acostumadas. Os bispos não viam com bons olhos a corda na procissão.

Em função de divergências, a Igreja suspendeu o uso da corda na procissão do Círio entre 1926 a 1930. A corda voltou em 1931 e não saiu mais.



 


MUDANÇA

Com o objetivo de buscar maior agilização no percurso das procissões da Trasladação e do Círio, a Diretoria da Festa de Nazaré, desde o Círio 2004, alterou o formato da corda nas procissões, deixando de ser em forma de “U” para ser linear. Hoje, elas medem 400 metros de comprimento, com 2,0 polegadas de diâmetro e pesando cerca de 600 Kg cada. Na Trasladação e Círio as mesmas continuarão sendo divididas em núcleos (da cabeça e da berlinda) e em 5 estações.

Durante mais de uma década até 2005, as cordas foram confeccionadas na Paraíba. De 2006 até 2011, elas passaram a ser confeccionadas em Salvador (BA). A partir do Círio 2012 a fabricação das cordas passou a ser feita em Santa Catariana.



 


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS