Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$
Círio

Voluntários fortalecem corrente solidária no Círio

segunda-feira, 03/10/2016, 07:30 - Atualizado em 03/10/2016, 07:30 - Autor:


Os ritmos de trabalho durante uma operação de salvamento no Círio devem ser precisos e minuciosamente elaborados. São necessárias cerca de 15 pessoas, entre homens e mulheres, para realizar um único atendimento. São os maqueiros, os socorristas e os voluntários que têm a função de abrir caminho. No último sábado, cerca de 2.900 voluntários participaram de um treinamento no ginásio da Tuna Luso, em Belém. Eles se preparam para atendimento no próximo dia 9, durante a procissão do Círio.

Da identificação dos que desmaiam até a condução de pessoas a um posto de primeiros socorros, o tempo é essencial para o atendimento bem-sucedido. “A gente consegue fazer todo esse trabalho em cerca de 15 segundos durante o Círio”, diz o conselheiro estadual da Cruz Vermelha, Lourival Netto.

REFORÇO

Por esse motivo é que a instituição, todos os anos, precisa reforçar o número de voluntários para a Cruz Vermelha. “É necessário ter todo um cuidado porque estamos lidando com vidas”, complementa o gestor operacional Carlos Moraes. Ele destaca que são realizados vários treinamentos até o dia da grande festa religiosa.

A partir da próxima quarta-feira, dia 5, começam os trabalhos da Cruz Vermelha nas procissões iniciais do Círio de Nazaré. Mas o serviço se intensifica mesmo nas duas grandes procissões da festa religiosa. Serão 15 postos de atendimento na Trasladação, no sábado, e 21 postos durante a procissão de domingo. Ao longo da avenida Nazaré serão disponibilizados 8 postos de atendimento

PRAZER EM AJUDAR

Carlos Lobão, de 28 anos, integra a Cruz Vermelha há 13 anos. Ele diz que sempre sentiu vontade de ajudar as pessoas. “Alguns colegas me convidaram para participar do treinamento e isso me conquistou. Sinto gratidão quando ajudo”, explica. Lobão também atua em grupos de animação a pacientes em hospitais nas horas vagas. Pela primeira vez neste serviço, a doméstica Shirley Prestes, de 36 anos, se diz realizada. “Sempre foi meu sonho participar da Cruz Vermelha. Já estou contando os dias para chegar o Círio”, anima-se. Fazer bem ao próximo também motivou a estudante de técnica em enfermagem, Tayane Arocha, de 19 anos. “Me identifico em ajudar as pessoas”, conta. Após a preparação para o Círio de Nazaré, ela adianta outro desejo.

PLANOS

“Já estou me preparando para me tornar efetiva da Cruz Vermelha”. Ela quer participar do processo seletivo, que acontecerá em novembro.

(Wal Sarges/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS