Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$
Círio

Graças alcançadas esculpidas em cera

sábado, 10/10/2015, 12:51 - Atualizado em 10/10/2015, 12:51 - Autor:


Os objetos em cera que imitam as partes do corpo humano estão entre os artigos mais procurados no período que antecede o Círio de Nazaré. E eles têm muitos formatos. São muitas cabeças, braços e pernas, além de bens materiais como casa, carro, moto e até animais domésticos. Cada um deles conta uma história de promessas e graças alcançadas.


É com a venda desses artigos que o comerciante Pedro Manoel Barbosa, 53 anos, trabalha há 3 décadas. Na loja localizada na Rua Dr. Malcher, ao lado da Catedral da Sé, na Cidade Velha, são produzidos e vendidos 90 tipos de objetos em cera. A produção inicia logo após o término da Semana Santa e visa atender não só a demanda do Círio de Nazaré, que é a maior, como também as procissões no interior do estado.


Por isso, todos os anos são fabricados em torno de 130 mil produtos somente na loja de Pedro. Entretanto, o comerciante ressalta que os valores cobrados pelas peças, que variam entre R$ 5 e R$ 15, podem ser considerados simbólicos, uma vez que a matéria-prima utilizada na confecção artesanal, a parafina derivada do petróleo, tem acumulado reajustes. O último foi de 30%.


Mas Pedro garante que esses aumentos não são repassados ao cliente final que, em geral, são pessoas idosas e humildes. “É mais uma questão de devoção mesmo, até pelo perfil do nosso cliente. Temos clientes que pagam promessa há 50 anos e vêm todos anos aqui comprar”, frisa.


Dentre os fiéis que não deixam de pagar a sua promessa está o aposentado Raimundo Baía, 74. Há mais de dez anos ele compra garganta, pulmão, cabeça e coração em cera. É a forma que ele e sua família encontraram para retribuir as graças recebidas. “Venho aqui todos os anos comprar para a minha filha e esposa que receberam a cura. É um agradecimento que não podemos deixar de fazer em nenhum ano”, revela.


(Pryscila Soares / Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS