Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$
UNIÃO

Almoço do Círio: Famílias reunidas e gratidão à padroeira

No Natal dos paraenses, é claro que não podia faltar o almoço com toda família reunida em torno da mesa. Um momento para agradecer, principalmente nesses tempos em que a pandemia nos separou

segunda-feira, 12/10/2020, 08:50 - Atualizado em 12/10/2020, 08:50 - Autor: Suênia Cardoso e Wesley Costa


Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté
Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté | Celso Rodrigues

Após meses distante da família, já que a maior parte mora em Abaetetuba e estavam isolados por conta da pandemia do novo coronavírus, a fonoaudióloga Ane Nobre, 40 anos, pôde enfim, reunir os entes queridos no tradicional almoço do Círio. O encontro também teve um sabor especial porque foi o primeiro a ser realizado no apartamento novo, no bairro de Nazaré. “Todos os anos comemoramos na casa de algum parente. Este ano, celebramos em nosso lar e é o primeiro grande encontro, já que ficamos muito tempo sem ver toda a família”, contou.

Mesmo sendo um Círio diferente, sem as tradicionais procissões, a família da Ane sentiu-se agraciada pela oportunidade de ter um momento mais íntimo com Nossa Senhora de Nazaré, pois o apartamento onde mora fica localizado bem próximo à Basílica Santuário. “Acompanhamos da varanda o pouso do helicóptero com a imagem de Maria e pudemos sentir toda a emoção que o Círio transmite”, contou a fonoaudióloga. Para celebrar a festa, Ane investiu na decoração para o almoço, com pratos temáticos e entrega de brindes para os familiares.

Um dos amigos da família, o pároco Antônio Silva Nobre, da paróquia de Nossa Senhora de Nazaré, de Abaetetuba, ressaltou que o encontro foi mais uma bênção, levando em conta tudo o que tem acontecido este ano. “Temos o sentimento de gratidão por estarmos em família. Não entendemos os projetos de Deus e, meses atrás, nem imaginaríamos que pudéssemos estar aqui. O Círio está nos corações dos fiéis, e a fé e o amor, de diferentes formas, prevalecem”.

SINCRONIZADO

Quem também se sentiu abençoada durante o almoço foi a vizinha da Ane, a dentista Genoveva Porpino, 52 anos. Há 13 anos morando no bairro e sempre acompanhando a festa nazarena, ela não soube explicar a emoção ao ver a imagem peregrina bem próximo à sua varanda e, ao mesmo tempo, ter recebido a ligação dos filhos, que moram em São Paulo. “Foi uma coincidência incrível, parece que foi sincronizado. Isso só aumentou ainda mais a minha emoção”, disse.

Genoveva Porpino viveu uma dupla emoção ao ver a santinha ao mesmo tempo que recebia ligação dos filhos
Genoveva Porpino viveu uma dupla emoção ao ver a santinha ao mesmo tempo que recebia ligação dos filhos Celso Rodrigues

Todos anos, Genoveva tem o costume de decorar a casa em homenagem à Rainha da Amazônia e reunir os familiares para celebrar o Círio com muita oração. Além do almoço deste ano, ela também convidou alguns amigos para um jantar na noite anterior, como forma de agradecimento à Nossa Senhora.

GRATIDÃO

Já no bairro do Telégrafo, o sentimento era de extrema gratidão para a família da aposentada Iracema Souza, 79 anos. Acometida pela Covid-19 em abril, ela conta que ficou 14 dias internada e chegou a pensar que não conseguiria celebrar mais um Círio ao lado da família. “É indescritível a alegria e a emoção de poder estar com a minha família novamente, comemorando mais um Círio. Pedi muito em oração para que Nossa Senhora devolvesse a minha saúde e, graças a Deus, obtive esta graça”, contou.

3 A aposentada Iracema Souza agradeceu por poder estar com a família, após se curar da Covid-19
3 A aposentada Iracema Souza agradeceu por poder estar com a família, após se curar da Covid-19 Celso Rodrigues
 

A filha Vera Souza, 63 anos, disse que ver a família reunida novamente e a mãe com saúde faz com que a fé em Maria aumente cada vez mais. “Achávamos que ela não iria resistir, mas com a fé em Deus e em Nossa Senhora, ela voltou, foi curada e agora só temos que agradecer e comemorar mais um Círio em sua companhia”.

Quem ficou em casa pôde acompanhar tudo sobre o Círio pelos meios de comunicação

Na mesa, um café mais do que especial para receber romeiros, parentes e amigos. Os olhares permaneciam atentos na TV para não perder nenhum detalhe da programação da festa da Rainha da Amazônia, que esse ano aconteceu de forma ainda mais intensa nos lares paraenses. Atendendo aos pedidos da Diretoria da Festa de Nazaré, e como medida de prevenção a Covid-19, os agradecimentos e a fé na padroeira dos paraenses foram expressados diretamente do lar de milhares de famílias.

Uma programação completa com missas, momentos de orações, documentários e testemunhos de fé, foi transmitida pelos canais oficiais do Círio de Nazaré e pelos meios de comunicação do Grupo RBA durante toda a manhã de ontem (11). Na casa da assistente social Olinda Campos e do advogado José Galhardo, a cenas captadas pelas lentes de profissionais da imprensa emocionaram toda a família, que assistiu às transmissões e refletiu sobre o sentido de mais um Círio.

Olinda conta que o momento de reunião já virou tradição no mês de outubro. Há mais de 10 anos a família abre as portas para vivenciar ao lado de pessoas queridas os mais diversos significados que o Círio possa transmitir. “Essa é uma forma de agradecer à Nossa Senhora por tudo que a gente recebe ao longo do ano, e também de pedir novas bênçãos. Para nós, é uma enorme satisfação poder compartilhar esse momento e estar sempre em partilha com o próximo”, disse.

Olinda Campos e o esposo José Galhardo receberam familiares para acompanhar o Círio em casa.
Olinda Campos e o esposo José Galhardo receberam familiares para acompanhar o Círio em casa. Mauro Ângelo
 

O marido José Galhardo lembra que mesmo não sendo de forma presencial, as emoções e os sentimentos pelo Círio permanecem vivos e fortes. Entre os novos desejos, o advogado pedia à virgem pelo fim da pandemia, pelo conforto do coração de quem perdeu entes queridos, e pela cura de tantas outras pessoas que ainda estão doentes por conta do vírus. “Nesse ano difícil que ainda estamos vivendo, que Nossa Senhora nos ilumine sempre mais e nos ajude a encontrar uma cura para que, ano que vem, possamos ter um Círio como sempre foi, de pessoas e emoções nas ruas”, rogava.

REFLEXÃO

No lar da premiada artista plástica Elieni Tenório, a devoção à padroeira dos paraenses tomava conta de todos os cômodos. Amante de tudo que seja relacionado ao Círio de Nazaré, a artista assistiu à programação pela televisão ao lado de seu esposo, e disse que esse é um Círio de reflexão. “Acredito que essa pandemia não veio de graça e sim para que todos nós possamos fazer uma reflexão sobre as nossas ações vivenciais, pessoais e conjuntas. Então, esse Círio está sendo isso, um momento de intensa reflexão interior e que está unindo muitas famílias”, observa.

A artista plástica Elieni Tenório também acompanhou tudo de seu lar junto com o marido
A artista plástica Elieni Tenório também acompanhou tudo de seu lar junto com o marido Mauro Ângelo
 

Assim como em anos anteriores, a artista agradeceu as bênçãos derramadas em sua vida através da Virgem de Nazaré e relembrou que não importava o meio, mas que tudo que acontece durante o Círio é muito importante. “Eu continuo mantendo toda minha gratidão, primeiramente a Deus, e à Nossa Senhora que nunca me desamparou, ficando sempre ao meu lado me abençoando constantemente com mais criatividade no meu trabalho”, disse.


3 A aposentada Iracema Souza agradeceu por poder estar com a família, após se curar da Covid-19
Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté | Celso Rodrigues
Olinda Campos e o esposo José Galhardo receberam familiares para acompanhar o Círio em casa.
Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté | Celso Rodrigues
A artista plástica Elieni Tenório também acompanhou tudo de seu lar junto com o marido
Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté | Celso Rodrigues
Genoveva Porpino viveu uma dupla emoção ao ver a santinha ao mesmo tempo que recebia ligação dos filhos
Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté | Celso Rodrigues
Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté
Ane Nobre reuniu com os familiares, cuja maior parte é de Abaeté | Celso Rodrigues

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS