Notícias / Brasil

FALSA MÉDICA

Mulher é presa acusada pela morte de paciente que realizou procedimento e estético

Segunda-Feira, 30/07/2018, 11:44:20 - Atualizado em 30/07/2018, 13:17:49 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Mulher é presa acusada pela morte de paciente que realizou procedimento e estético (Foto: Polícia Civil/Divulgação)
(Foto: Polícia Civil/Divulgação)

Policiais civis prenderam nesta segunda-feira (30) uma mulher acusada de matar paciente em decorrência de um procedimento estético em março deste ano. Mariana Batista de Miranda foi presa em sua casa, em Mesquita, na Baixada Fluminense.

Ela foi denunciada pelo Ministério Público (MP) estadual por ter causado a morte de Fátima Santos de Oliveira, através da aplicação de silicone industrial nas nádegas, em 16 de março.

Segundo o Ministério Público, perícia médico-legal confirmou que o procedimento estético foi a causa da morte da paciente.

Risco de matar

Para os promotores, Mariana não possui formação médica, nem tem conhecimento técnico para fazer o procedimento, por isso assumiu o risco de matar ao realizar a aplicação da substância.

Além disso, segundo as investigações da polícia, Mariana também prescreveu medicações à vítima, após tomar ciência das complicações provocadas pelo procedimento.

De acordo com denúncia do MP, entre o fim de 2017 e março de 2018, Mariana exerceu a profissão de médica ilegalmente, sem registro profissional ou formação, aplicando silicone industrial em diversas pessoas, com o objetivo de obter lucro financeiro.

Por isso, ela foi denunciada por homicídio doloso e exercício ilegal da medicina.

Antecedente criminal

Segundo informações do Jornal Extra, Mariana Batista já tinha uma passagem pela polícia. Ela foi acusada de ter esfaqueado o ex-marido, um policial militar.

Após uma discussão, segundo a polícia, no dia 13 maio de 2017, ela teria ferido o PM com um golpe de faca. Ele deu entrada no Hospital Geral de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, com grave ferimento por arma branca e teve um rim removido, durante o procedimento médico.

Mariana justificou a agressão dizendo que, durante a discussão, ele teria sacado a arma e atirado para o alto. Em represália, a falsa médica o atacou com uma faca.

O policial retirou a queixa contra sua ex-esposa e a PM não levou a investigação adiante.

(Com informações da Agência Brasil)





Comentários

Destaques no DOL