Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
MAU GOSTO

 Bolsonaro faz piada com mortes e posa com “CPF Cancelado”

A expressão remete ao jargão usado para vítimas mortas em caso de violência policial. No dia em que o presidente riu entre aliados, o país registrou mais de 3 mil pessoas mortas pela covid-19

domingo, 25/04/2021, 12:14 - Atualizado em 25/04/2021, 12:14 - Autor: Com informações do Congresso em Foco


Bolsonaro e apresentador, sem máscara, rindo de mortes.
Bolsonaro e apresentador, sem máscara, rindo de mortes. | Alan Santos/PR

O brasileiro tem que lidar todos os dias com noticias de morte. Na pandemia, com o número elevado de óbitos por Covid-19, a situação é ainda mais dolorosa. A dor não é só de quem perdeu uma pessoa querida, mas de compaixão e solidariedade com o semelhante.

Quem parece não estar preocupado com isso é o presidente Jair Bolsonaro. Ao lado de alguns simpatizantes, ele posou para uma foto em alusão as pessoas mortas com expressão de alegria.

Ao participar do programa do apresentador Sikêra Jr., da TV "A Crítica", de Manaus, um dos seus simpatizantes, Bolsonaro protagonizou brincadeiras com uma pessoa vestida com cabeça de burro, fez piadas homofóbicas e, nos bastidores, rodeado por parte de seus ministros, posou para uma foto com uma placa escrita "CPF Cancelado".

A imagem foi registrada na sexta-feira (23), quando a comitiva visitava  Manaus.

Sikeira já foi infectado pelo novo coronavírus, e chegou a dizer que a doença não deve ser subestimada

Para quem não sabe, a gíria "CPF Cancelado", é designada a alguém que morre.  Geralmente em contexto de policiais e grupos de extermínio, quando alguém é assassinado por outro membro ou facção.


Porém, no dia da foto o Brasil acumulava 386.416 mortos pela Covid-19. Momento este que Bolsonaro ria, sendo que nas últimas 24 horas, o país perdeu 3.076 pessoas para a doença

A imagem não passou despercebida e parlamentares criticaram o comportamento por conta da pandemia.

Durante sua participação no programa o presidente voltou a fazer ameaças à democracia caso haja o agravamento da crise social causada pela covid-19.

"Eu tô junto com os meus 23 ministros, da Damares ao Braga Netto, praticamente conversados sobre isso aí se o caos generalizado se implantar no Brasil pela fome, pela maneira covarde como alguns querem impor certas medidas restritivas para o povo ficar dentro de casa", disse.

Vale lembrar ainda, que Manaus, onde o programa de Sikêra Jr. é transmitido, foi uma das capitais que mais sofreu por conta da pandemia no início do ano com a má gestão do presidente e do então ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. A cidade ficou sem oxigênio e teve um dos piores cenários da covid.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS