Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
PANDEMIA

Grávidas podem tomar vacina para COVID-19?

Saiba o que a ciência já conhece sobre a imunização para gestantes ou mulheres que estão tentando engravidar

quinta-feira, 08/04/2021, 16:05 - Atualizado em 08/04/2021, 16:04 - Autor: Com informações brunoramalho.med.br


Imagem ilustrativa da notícia Grávidas podem tomar vacina para COVID-19?
| Reprodução

Os resultados da aplicação da vacina contra o novo coronavírus em mulheres grávidas e amamentando ainda não foram divulgados e tão pouco concluídos. Em princípio, não parece haver motivo para preocupação com a vacina nesse grupo específico de mulheres. Entretanto, ainda precisamos aguardar o aval da ciência para atestar a segurança e dizer se os imunizantes terão a mesma eficácia observada em outros grupos. 

Especialistas observam que o tipo de vacina poderá ser determinante para uma eventual indicação para gestantes e as que estão tentando engravidar. Isso porque os imunizantes com vírus inativados já são utilizadas no combate a outras doenças em mulheres grávidas. Por isso, acredita-se que as primeiras vacinas contra a covid-19 devam ser as que utilizam tal tecnologia. A vacina produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac (Coronavac) é um exemplo.

Dessa forma, ser imunizada contra a covid-19 durante a gravidez seria uma decisão pessoal. E o mesmo vale as que tentam gerar um bebê. Segundo um consórcio de entidades britânicas ligadas à saúde reprodutiva, mulheres grávidas devem considerar a vacinação quando o risco de contrair a covid-19 for muito alto (profissionais de saúde da linha de frente, por exemplo). 

Já a Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia (ESHRE) orienta o adiamento dos tratamentos de reprodução para as mulheres que foram imunizadas, por pelo menos alguns dias após a conclusão do processo (o que entendo tratar-se da tomada de todas as doses indicadas).

Vale lembrar, que as vacinas mais distribuídas na Europa (AstraZeneca/Oxford e Sputnik V) usam a tecnologia de vetor viral, que é diferente da usada na Coronavac.

A ESHRE ainda orienta que, enquanto aguardamos informações sobre segurança e eficácia das vacinas em gestantes e tentantes, o mais prudente seja mesmo adiar a vacinação nesse grupo. Mas até que cheguem, resta-nos somente manter as medidas de precaução.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS