Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
SEM PUDOR

Casas de swing fecham e casais fazem orgias em parque: 'tudo é permitido'

Para manter o fetiche, os adeptos escolhem pontos específicos para movimentar as surubas noturnas.

sábado, 13/03/2021, 09:35 - Atualizado em 13/03/2021, 09:35 - Autor: Com informações do portal Metrópoles


Adeptos do swing não se intimidam e transam em locais públicos, sem nenhum pudor.
Adeptos do swing não se intimidam e transam em locais públicos, sem nenhum pudor. | Reprodução

Perigo, adrenalina e sexo sem compromisso com desconhecidos têm incendiado as noites em um parque. Com o lockdown, decreto pelo governo, casais adeptos do swing transformam estacionamentos, áreas com churrasqueiras e até bancos de concreto em motéis ao ar livre, onde o sexo é rápido e tudo é permitido. As informações são do portal Metrópoles.

Para manter o fetiche a todo vapor, os adeptos do swing encontros em grupos fechados de WhatsApp, com reuniões rápidas e decididas em poucas horas, onde escolhem pontos específicos para movimentar as surubas noturnas.

O Parque da Cidade, no Distrito Federal, estão entre as principais escolhas. No Estacionamento 8, por exemplo, as vagas delimitadas são ocupadas por veículos com casais dentro.

Mas, como funciona? Simples! Os participantes abrem as portas dos carros, ligam os faróis e se aproximam para “analisar” se há interesse em realizar a troca. Depois, o sexo começa ali, com as mulheres se escorando nas portas, deitando parcialmente nos bancos dianteiros ou até no meio da vegetação.

Outro ponto do Parque da Cidade preferido pelo público swinger fica completamente deserto à noite. Protegidas pelos pinheiros que existem na área, as churrasqueiras são usadas como refúgio para as transas casuais. Invariavelmente dois, três ou até quatro casais se aventuram no escuro e ficam nus no local.

O terceiro ponto usado pelos grupos de swing para realizar as fantasias sexuais fica atrás do Departamento de Polícia Especializada (DPE). O local escolhido é protegido pelo mato alto e o esquema é o mesmo. Os carros chegam, casais se apresentam e sugerem a troca de parceiro.

Um homem solteiro que costuma aparecer no local para tentar conseguir uma transa, explica que com o lockdown, os encontros passaram a ser mais cedo.

Segundo ele, as orgias ocorrem "entre 19h e 21h30" e "em questão de minutos, as festinhas são montadas, o povo transa e entram nos carros deixando o parque o mais rápido possível”.

O homem destaca ainda, que há apenas a única regra no mundo swinger: “Tudo é permitido, nada é obrigatório”.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS