Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

EXPECTATIVA

Fiocruz entregará 15 milhões de doses de vacinas em março

Primeiro lote deve ser entregue até o dia 19 do próximo mês ao Ministério da Saúde. Previsão é que, até julho, um total de 100 milhões de imunizações serão feitas no país

sábado, 06/02/2021, 08:33 - Atualizado em 06/02/2021, 08:33 - Autor: FOLHAPRESS


A Fiocruz produz e distribui a vacina desenvolvida pela Astrazeneca/Oxford no Brasil
A Fiocruz produz e distribui a vacina desenvolvida pela Astrazeneca/Oxford no Brasil | Tomaz Silva/Agência Brasil

A Fiocruz divulgou nesta sexta (5), pela primeira vez, o cronograma detalhado de produção das vacinas desenvolvidas pela AstraZeneca/Oxford no Brasil. A primeira remessa do imunizante só será concluída no meio de março, como já previsto após o atraso na importação da matéria-prima da China.

Serão 15 milhões de doses finalizadas no próximo mês, sendo que o primeiro lote de 1 milhão de doses será entregue entre os dias 15 e 19 ao Ministério da Saúde. Elas serão formuladas com o IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) que começará a chegar ao Rio de Janeiro neste sábado (6).

Depois, a fundação pretende formular e envasar cerca de 28 milhões de doses por mês. Isso dará um total de 100 milhões de vacinas até julho, quantidade que estava sendo projetada desde o início e não sofrerá atrasos, segundo o laboratório. A partir de abril, a Fiocruz começa a incorporar a tecnologia para produzir seu próprio IFA em sua fábrica, não mais dependendo da importação do insumo. A expectativa é que a entrega das primeiras remessas totalmente nacionais comece em julho, somando mais 110 milhões de doses no segundo semestre.

Anvisa recebe pedido de estudo clínico da fase 3 da vacina Covaxin no Brasil

O que mudou, segundo a presidente Nísia Trindade, foi o ritmo das remessas de insumo que serão recebidos. Antes eram previstos dois lotes por mês, com quantidade suficiente para produzir 15 milhões de doses mensais. Agora, serão três lotes por mês até abril, e depois mais quatro lotes em maio e um em junho. “Foram apenas questões de segurança e acondicionamento, que mudam durante o processo”, disse Trindade em entrevista coletiva nesta sexta.

Depois que o IFA chegar, o cronograma de fevereiro é o seguinte: ele será descongelado a partir do dia 10 (sua armazenagem é feita a -55ºC) e formulado até o dia 12 para passar por uma pré-validação. Do dia 13 a 17, será envasado, revisado, rotulado e embalado, passando também pelo controle de qualidade.

No dia 18, o primeiro lote do produto será liberado para avaliação da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), que precisa aprová-lo antes da produção e distribuição. “Já estamos conversando com a Anvisa para que não haja atraso na autorização”, afirmou a presidente da Fiocruz.

IFA que chega amanhã ao país produzirá 2,8 milhões de doses de vacinas

“Para começar a produção, por questões regulatórias, tem que fazer essa validação”, explicou o diretor do laboratório de Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma.

Em 23 e 28 de fevereiro, a fundação receberá as duas remessas do IFA que faltam para completar a quantidade de vacinas a ser produzida até março. A capacidade de envase da Fiocruz dobrará de fevereiro para março: de 700 mil para 1,3 milhão de doses por dia.

Cronograma da vacina da AstraZeneca/Oxford

Fiocruz prevê entregar 220 milhões de doses até o fim de 2021

Fevereiro

Chegada de 3 lotes de IFA nos dias 6, 23 e 28

Início da produção no dia 12

Março

Chegada de 3 lotes de IFA

Entrega de 15 milhões de doses

Abril

Chegada de 3 lotes de IFA

Entrega de 27 milhões de doses

Início da incorporação da tecnologia para produzir o IFA

Maio

Chegada de 4 lotes de IFA

Entrega de 28 milhões de doses

Junho

Chegada de 1 lote de IFA

Entrega de 28 milhões de doses

2º semestre

Início da entrega de vacinas 100% nacionais

Entrega de 112,4 milhões de doses

Ministério da Saúde pode comprar 5 milhões de doses da vacina russa

O Ministério da Saúde informou nesta sexta-feira (5) que poderá adquirir 10 milhões de doses da vacina Sputnik V importadas da Rússia por meio do laboratório União Química, que tem uma parceria para oferta do imunizante no Brasil. A aquisição está condicionada a um aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para uso emergencial e caso o preço seja “competitivo”, aponta.

A posição foi manifestada em reunião com representantes da empresa e o secretário-executivo do ministério, Elcio Franco. “Iremos contratar e comprar as dez milhões de doses, se o preço for plausível, e efetuaremos o pagamento após a Anvisa dar a autorização para uso emergencial da ‘Sputnik V’, fazendo a disponibilização imediatamente aos brasileiros”, disse o secretário, por meio de nota. O cronograma encaminhado pelo instituto estima o envio 400 mil doses uma semana após assinatura do contrato de compra. Outros 2 milhões de doses estariam no Brasil um mês depois e mais 7,6 milhões nos dois meses seguintes, informa.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS