Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

JUSTIÇA

UFRJ expulsa 21 alunos brancos de Medicina que fraudaram cotas para pretos

Com a criação de páginas para denunciar e expor alunos que fraudam cotas, as instituições de ensino precisaram fortalecer a fiscalização.

quinta-feira, 04/02/2021, 20:20 - Atualizado em 04/02/2021, 20:39 - Autor: Igor Reis


Estudante protesta contra preconceito na UFRJ
Estudante protesta contra preconceito na UFRJ | Reprodução Instagram

A Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) deu um passo importante para a luta das instituições contra o fluxo, cada vez maior, de estudantes brancos que fraudam o sistema de cotas raciais em universidades de todo o Brasil.

Leia também:

- USP expulsa estudante que fraudou cotas raciais

- Estudante ruivo diz ser pardo e entra como cotista em medicina

- Filha de dono de colégio entra como cotista na UEPA

A universidade cancelou a matrícula de 21 alunos da faculdade de medicina. Todos fraudaram as cotas destinadas a alunos pretos. Chama atenção o fato da universidade ter cancelado a matrícula de alunos desde o quarto período até a de que estavam próximos da conclusão do curso.

Denúncias deste tipo ganharam força nas redes sociais nos últimos anos. Com a criação de páginas de denúncias que expõem alunos que fraudam cotas por todo o Brasil, as instituições de ensino precisaram fortalecer a fiscalização.

A denúncia na UFRJ foi feita por um grupo de alunos pretos. Eles se sentiram lesados por terem colegas brancos ocupando a vaga de forma fraudulenta. Ao todo, foram 96 denúncias, mas apenas 21 foram expulsos, segundo a universidade.

A investigação foi feita pela Comissão de Heteroidentificação da UFRJ, com sigilo absoluto, para não haver pré-julgamentos. Mesmo assim, alguns nomes vazaram e houve algumas confusões dentro de sala.

Além do curso de medicina, a UFRJ cancelou matrículas de dois alunos de Psicologia, um de Enfermagem, um de Comunicação Visual e um de Engenharia. Ainda há denúncias de outros alunos.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS