Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$
EXPECTATIVA

Novo auxílio emergencial e reforma tributária serão discutidos em até 8 meses, diz presidente do Senado 

Ainda não há uma definição sobre o caminho da reforma na Câmara e no Senado depois da conclusão no colegiado

quinta-feira, 04/02/2021, 15:51 - Atualizado em 04/02/2021, 15:51 - Autor: Com informações UOL


Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG)
Presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG) | Reprodução

Os presidentes da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), fecharam um acordo para a votação da reforma tributária no Congresso em um prazo dentro de seis a oito meses. Pela negociação, a comissão mista da proposta finaliza o relatório até o fim de fevereiro. Além da reforma tributária também irá entrar em discussão a criação de um novo auxílio emergencial.

Ainda não há uma definição sobre o caminho da reforma na Câmara e no Senado depois da conclusão no colegiado.

VEJA TAMBÉM!


Os chefes do Legislativo se reuniram com o presidente da comissão da reforma tributária, senador Roberto Rocha (PSDB-M), e com o relator da proposta, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), mas não detalharam qual será o caminho da reforma após o parecer da comissão. 

"Se se iniciará pela Câmara ou pelo Senado, isso é um detalhe até desimportante. Nós vamos buscar um consenso nas duas casas", disse Pacheco.

Porém, não há acordo ainda sobre o conteúdo da proposta, que atualmente divide opiniões entre o governo federal, setores e Estados. O ministro da Economia, Paulo Guedes já defendeu um novo imposto nos moldes da extinta CPMF. Os presidentes da Câmara e do Senado reforçaram que a negociação fechada é sobre o procedimento de discussão. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS