Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

CENÁRIO PREOCUPANTE

Com fim do auxílio emergencial, extrema pobreza dispara em 2021 e atinge 27 milhões no Brasil

Índice de janeiro é maior do que o registrado no início da década passada

domingo, 31/01/2021, 15:17 - Atualizado em 31/01/2021, 15:17 - Autor: Com Informações de Revista Forum


| Marcello Casal/Agência Brasil

O mês de janeiro registrou um salto no número de pessoas vivendo na pobreza extrema com o fim do auxílio emergencial. De acordo com cálculo realizado pelo FGV Social a partir de dados das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (Pnads) Contínua e Covid-19, quase 27 milhões de brasileiros estão nessa condição neste começo de ano.

Os dados representam 12,8% da população, o que configura em um aumento significativo em relação ao segundo semestre de 2020. Na época, cerca de 55 milhões de brasileiros recebiam o auxílio de R$ 600 – posteriormente cortado para R$ 300 – do governo.

Bolsonaro descarta novo auxílio emergencial: 'vai quebrar o Brasil'

Economistas são favoráveis a novas políticas de auxílio emergencial com crescimento da pandemia

Além disso, a taxa neste começo de ano é maior que a do início da década anterior, que teve 12,4% da população vivendo na pobreza extrema. O número também é maior do que o registrado no início de 2019 (11%).

A FGV Social considera uma condição de extrema pobreza quem vive com R$ 246 ao mês, ou R$ 8,20 ao dia.

O cenário deve demorar ainda para apresentar uma melhora, já que o país enfrenta hoje um novo pico da Covid-19 e, por consequência, novas medidas restritivas – o que dificulta a procura por emprego.

O último levantamento realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontava que cerca de 14 milhões de brasileiros ainda estavam desempregadas no trimestre encerrado em novembro.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS