Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

DECISÃO

PF prende blogueiro bolsonarista por ter burlado decisão do STF

O blogueiro não poderia sair de Brasília sem autorização prévia, mas recentemente foi a São Paulo, onde fez uma suposta matéria jornalística contra Guilherme Boulos (PSOL).

terça-feira, 17/11/2020, 13:48 - Atualizado em 17/11/2020, 13:48 - Autor: FOLHAPRESS


| Reprodução

A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira (17) o bolsonarista Oswaldo Eustáquio por ter burlado decisão de Alexandre de Moraes, do Supremo.

Ele terá que usar tornozeleira eletrônica a partir de agora, em nova determinação do ministro.

O blogueiro não poderia sair de Brasília sem autorização prévia, mas recentemente foi a São Paulo, onde fez uma suposta matéria jornalística contra Guilherme Boulos (PSOL).

Ele também vinha usando suas redes sociais, o que Moraes tinha proibido. Eustáquio é um dos principais investigados no inquérito de articulação de atos antidemocráticos, que está no STF.

A PF também cumpriu busca e apreensão na residência de Eustáquio e, por determinação de Moraes, deveria apreender os aparelhos eletrônicos do blogueiro.

Em nota, a assessoria dele disse que "a prisão é ilegal, imoral e inconstitucional por crime de opinião, sendo assim rasgada a Constituição Brasileira" (leia a nota na íntegra abaixo).

Na suposta reportagem, o bolsonarista acusava o candidato do PSOL de ter contratado empresas de fachada na eleição.

O vídeo com informações falsas, que dizia revelar o "laranjal de Boulos", foi usado por Celso Russomanno (Republicanos) durante debate dos concorrentes à Prefeitura de São Paulo realizado por Folha e UOL.

Dias depois, no entanto, a Justiça Eleitoral ordenou a retirada do ar da suposta matéria e, em seguida, determinou a suspensão da conta dele no YouTube. A decisão veio após a campanha de Boulos entrar com uma ação acusando o blogueiro de propagar fake news.

Leia mais:

Pix tem índice de operações não realizadas de 7% no primeiro dia, diz presidente do BC

Dona de supermercado é assassinada na frente da esposa

Em junho, Eustáquio foi preso em Campo Grande (MS) com autorização de Moraes a pedido da Polícia Federal. Os investigadores argumentavam que a medida deveria ser cumprida porque havia risco de fuga. Duas semanas antes, ele tinha sido alvo de busca e apreensão no inquérito dos atos antidemocráticos.

Logo depois da Justiça bloquear seu canal, ele se manifestou nas redes sociais. "Eles me prenderam, me censuraram e agora derrubaram meu canal depois que denunciei Boulos e Paes", disse em um dos tuítes.

Após o cumprimento dos mandados nesta terça, a assessoria de imprensa do blogueiro enviou a nota abaixo.

"A assessoria de imprensa do jornalista Oswaldo Eustáquio informa que a prisão é ilegal, imoral e inconstitucional por crime de opinião, sendo assim rasgada a Constituição Brasileira. De acordo com o documento enviado pelo ministro Alexandre de Moraes, o motivo da prisão se trata pela reportagem que ele fez denunciando o laranjal do Boulos, desta forma, atirando no mensageiro. A Justiça brasileira ainda não investigou o laranjal de Boulos e também o laranjal do PSL, o crime que denunciado pelo deputado federal Nereu Crispim, que revela uma questão de segurança nacional que ainda não foi apurado pela douta procuradoria. O jornalista Oswaldo Eustáquio lamenta mais essa arbitrariedade e diz que vai denunciar tudo isso à Comissão Interamericana dos Direitos Humanos. Diz ainda que está de cabeça erguida, porque sabe do trabalho patriótico pelo Brasil e espera que a justiça apure tanto as denúncias do deputado Nereu Crispim tanto quanto as denúncias da empresa fantasma de Boulos em São Paulo, um escândalo de corrupção."

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS