Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$
DEFENSOR DE ADOLF HITLER

Professor que tem suástica nazista em piscina se candidata a vereador 

Wandecyr Pugliese já estampou reportagens de revista defendendo a ideologia nazista

quinta-feira, 08/10/2020, 18:28 - Atualizado em 08/10/2020, 18:28 - Autor: Com informações do portal O Tempo


Imagem ilustrativa da notícia Professor que tem suástica nazista em piscina se candidata a vereador 
| Reprodução

Um professor de história brasileiro e admirador confesso do nazismo, Wandecyr Antônio Pugliese,quer se candidatar ao cargo de vereador na cidade de Pomerode, em Santa Catarina, nas eleições deste ano. O homem - conhecido como professor Wander - ficou nacionalmente conhecido após a polícia descobrir uma suástica nazista desenhada na piscina da casa dele.

“O Partido Liberal, do Pedrão [candidato à Prefeitura de Florianópolis], apresentou um candidato NAZISTA em Pomerode (SC). Uma piscina com uma suástica foi flagrada na residência de Wander Pugliesi em 2014. Nem a polícia, nem o Ministério Público locais tomaram providências na época”, afirmou Camasão, presidente do partido PSOL de Florianópolis e candidato à vereador na capital catarinense, por meio das suas redes sociais.

De acordo com informações do portal “O Tempo”, em 1994, Pugliese teve apreendidos pela polícia materiais relacionados ao nazismo, como livros, revistas, fotografias, gravuras do exército alemão, objetos com a suástica e uma camiseta estampada com a imagem de Adolf Hitler, líder do partido alemão.

Naquele ano, ele se declarou admirador da ideologia nazista, mas disse que todos os objetos faziam parte de uma coleção pessoal destinada a estudo. Ele chegou a ser denunciado pelo crime de racismo, mas a ação foi arquivada.

O professor pediu de volta os materiais, que foram apreendidos a pedido do Ministério Público Federal (MPF), porém, em 2001, a Justiça Federal negou.

No dia 30 de julho de 1995, o jornal Zero Hora, de Porto Alegre, estampou em sua capa uma reportagem com Wandercy. Nela, o docente exibia sua coleção, como um pôster de Hitler. O personagem da matéria foi considerado como um dos "neonazistas do fim do milênio".


A história de Wander foi publicada ainda em uma reportagem da revista Superinteressante, com diversos relatos, contando mais detalhadamente sua relação com a ideologia que, se defendida e propagada no Brasil atualmente, é passível de crime. Nela, consta que o postulante a vereador batizou seu filho de Adolf Roders Pugliesi.

CRIME

Segundo a lei 7.716/89, atualizada em 1997, é crime federal fabricar, comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas, ornamentos, distintivos ou propaganda que utilizem a cruz suástica ou gamada, para fins de divulgação do nazismo. A pena é prisão de dois a cinco anos e multa.

POSICIONAMENTO

O Diretório do Partido Liberal (PL) de Santa Catarina afirmou que, após as acusações, avalia expulsar o candidato da sigla. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS