Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

INVESTIGAÇÕES

PF faz operação contra fraudes no Ibama no Pará, DF e outros sete estados

terça-feira, 15/09/2020, 09:14 - Atualizado em 15/09/2020, 09:14 - Autor: Com informações Metrópoles


No total, cinco mandados de prisão e 48 de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Federal do Distrito Federal.
No total, cinco mandados de prisão e 48 de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Federal do Distrito Federal. | Divulgação

A Polícia Federal realiza na manhã desta terça-feira (15) a Operação Tokens, que investiga fraudes em certificados digitais de fiscais e gestores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

No total, cinco mandados de prisão e 48 de busca e apreensão foram expedidos pela Justiça Federal do Distrito Federal. As ordens judiciais foram executadas em 29 cidades de nove unidades federativas: Goiás, Tocantins, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Distrito Federal

MP quer explicações da Prefeitura de Belém sobre lixão em Marituba

De acordo com a PF, as fraudes beneficiavam proprietários rurais e empresários do ramo de exploração florestal e agropecuária com áreas embargadas nos estados do Pará e Mato Grosso.

As investigações apontaram para a existência de “122 desembargos irregulares em nome de 54 pessoas físicas ou jurídicas, com potencial prejuízo para a União da ordem de R$ 150 milhões em multas não recolhidas e descumprimento de embargos em áreas ambientais sensíveis da Amazônia legal“.

Auxílio emergencial vai até dezembro e muitos ficarão sem parcelas; entenda!

A partir da identificação, o inquérito foi instaurado pelo Ibama, de fraudes ocorridas contra vários superintendentes, agentes e fiscais, com o uso de tokens expedidos indevidamente por terceiros falsificadores.

Os investigados podem responder por crimes contra o meio ambiente, além de estelionato e uso de documento falso, alteração de sistemas de dados, descumprimento de ordens de embargos e possível prevaricação e corrupção.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS