Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
32°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

IMPOSTOS

Bolsonaro dá aval para Guedes discutir nova CPMF

domingo, 02/08/2020, 14:28 - Atualizado em 02/08/2020, 14:28 - Autor: Com informações da Folha de S. Paulo


Em sua campanha e até o ano passado, Bolsonaro se manifestava contra a criação de novos impostos.
Em sua campanha e até o ano passado, Bolsonaro se manifestava contra a criação de novos impostos. | Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) deu aval para que o ministro Paulo Guedes (Economia) discuta a criação de um novo imposto nos moldes da antiga CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras). A confirmação foi feita por ele neste domingo (2). As informações são da Folha de S. Paulo. 

Em sua campanha e até o ano passado, Bolsonaro se manifestava contra a criação de novos impostos, mas agora, segundo ele, não se trata de um novo, mas de uma substituição tributária.

Mistério! Círculo escuro surge nos céus da Suíça, assista ao vídeo!

“Pode ser o imposto que você quiser, tem que ver por outro lado o que vai deixar de existir. Se vai diminuir a tabela do Imposto de Renda, o percentual, ou aumentar a isenção, ou desonerar a folha de pagamentos, se vai também acabar com o IPI", disse o presidente em uma padaria no Lago Norte, área nobre de Brasília, para onde foi de moto em um passeio.

Nos bastidores, segundo divulgado pela Folha, Bolsonaro disse reconhecer que dificilmente um novo imposto terá apoio no Poder Legislativo, além de considerar que a iniciativa, caso seja viabilizada, vá desgastar a imagem do governo.

Bolsonaro diz que está com infecção no pulmão e faz piada com doença

Em troca do imposto sobre transações digitais, o Ministério da Economia estuda propor uma desoneração de até 25% da folha de pagamento das empresas para todas as faixas salariais. Ainda assim, líderes partidários resistem à proposta.

Bolsonaro também disse que ainda não há previsão de data para que a segunda etapa da proposta de reforma tributária seja entregue.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS