Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

SEM COPACABANA

Por pandemia de Covid-19, Rio suspende festa de Réveillon

sábado, 25/07/2020, 18:20 - Atualizado em 25/07/2020, 18:20 - Autor: FOLHAPRESS


| Agência Brasil

A Prefeitura do Rio de Janeiro suspendeu o tradicional Réveillon na praia de Copacabana, que costuma reunir até três milhões de pessoas na cidade. O município apontou que a festa de Ano Novo não é viável no atual cenário de pandemia sem a existência de uma vacina.

Sem o Réveillon, a Riotur (órgão do turismo municipal) pretende apresentar ao prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) novos formatos possíveis para o evento, sem a presença direta de público, em modelo virtual.

Segundo a Riotur, a ideia é atingir o público pela TV e plataformas digitais. O Réveillon do Rio tradicionalmente começa a ser organizado em agosto.

O Carnaval do Rio também está em risco. Na semana passada, representantes de algumas das 12 escolas do grupo especial de escolas de samba do Rio dizem não haver segurança para o desfile em 2021 sem que haja uma vacina para a Covid-19.

O temor foi tratado em reunião virtual da Liesa (Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro) que terminou sem uma definição sobre a realização do evento.

Após a reunião, a Riotur atendeu ao pedido da Liesa e não abriu a venda de ingressos para o setor turístico do sambódromo. O Carnaval de rua também está em discussão pela prefeitura e não tem a realização confirmada até o momento.

Nesta sexta-feira (25), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), já havia anunciado o adiamento do Carnaval 2021 por causa da pandemia do novo coronavírus. Nem escolas de samba nem blocos de rua desfilarão em fevereiro.

A parada do Orgulho LGBT presencial de 2020, que já havia sido adiada do primeiro para o segundo semestre, também foi cancelada. A edição de 2021 foi adiada para novembro do próximo ano.

Os dois eventos, junto com a prova brasileira de Fórmula 1, também cancelada pelos organizadores, são os que mais trazem turistas e dinheiro à capital paulista.

O adiamento foi discutido em reunião entre a Liga das Escolas de Samba de São Paulo e Covas nesta quinta (23). A Liga defendeu uma nova data da festa para que as escolas pudessem se preparar para o desfile. A proposta apresentada ao governo era de que o evento acontecesse em maio.

Outra decisão tomada pela prefeitura de São Paulo foi de não organizar o tradicional Réveillon da avenida Paulista neste ano.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS