Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
32°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

CRUELDADE

Boi foge de fazenda, ataca homem e acaba morto a tiros; veja vídeo

quinta-feira, 23/07/2020, 16:35 - Atualizado em 23/07/2020, 16:35 - Autor: Com informações Estado de Minas


Animal foi abatido por PMs; Movimento Mineiro pelos Direitos Animais (MMDA) vai apresentar denúncia junto ao MPMG para apurar maus-tratos
Animal foi abatido por PMs; Movimento Mineiro pelos Direitos Animais (MMDA) vai apresentar denúncia junto ao MPMG para apurar maus-tratos | Reprodução Twitter

Um boi fugiu depois de um assalto em uma fazenda, e acabou morto por policiais militares em Passos, no Sul de Minas na manhã desta quinta-feira (23).  De acordo com a denúncia feita pelo Movimento Mineiro pelos Direitos Animais (MMDA), o animal escapou depois que criminosos assaltaram a casa da fazenda e, na fuga, deixaram a porteira aberta.

Segundo a denúncia, o animal saiu da área rural em direção à cidade. Lá, deu uma cabeçada em um homem que precisou de ser levado para o hospital. O boi seguiu e parou próximo à delegacia da Polícia Civil de Passos, onde policiais o amarraram a um caminhão. Foi quando, policiais militares decidiram matá-lo "da pior forma possível", segundo uma testemunha que estava no local e preferiu não se identificar. Segunda ela, não fizeram o isolamento adequado, deram tiros de fuzil com muitas pessoas em volta.

"Os policiais disseram que já tinham feito contato com médicos veterinários em busca de um sedativo e que não conseguiram. Quando cheguei ao local, comecei a fazer os contatos, mas eles disseram que já estavam decididos a sacrificar o animal. Pedi calma, disse que conseguiríamos um sedativo. O animal já estava imobilizado e bem mais calmo", contou ela.

Para a coordenadora do MMDA, Adriana Araújo, o ato configura um desserviço para a evolução de nossa espécie. A banalização da vida do animal diante da população contribui para seu embrutecimento e violência. A entidade vai entrar com denúncia junto ao Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) para apurar os fatos por maus-tratos (Lei 22.231/2016).

O Estado de Minas ainda não se pronunciou sobre o caso. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS