Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

NUTRIÇÃO

Confinamento: alimentação saudável é aliada importante para idosos

sexta-feira, 19/06/2020, 08:18 - Atualizado em 19/06/2020, 08:18 - Autor: Alexandra Cavalcanti


Boa alimentação é aliada da saúde e sistema imunológico
Boa alimentação é aliada da saúde e sistema imunológico | Freepik

O distanciamento social necessário por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus, acabou tornando necessário redobrar os cuidados com a alimentação, principalmente dos idosos. Mais do que nunca, ela tornou-se uma forte aliada da boa saúde e do fortalecimento do sistema imunológico. Por essa razão, mais do que nunca é importante estar atento à prática de uma alimentação saudável.

Sespa confirma 317 novos casos de Covid-19 e mais 43 mortes no Pará

Antes de mais nada, a nutricionista Kelly Oliveira explica que quando se trata da alimentação de idosos, o acompanhamento profissional é fundamental. “Tudo precisa ser muito individual e se faz necessário ter acompanhamento com nutricionista para não desenvolver toxicidade, que são efeitos colaterais do consumo exacerbado de nutrientes”.

Mas de modo geral, alguns alimentos podem ser apontados como fundamentais para compor uma alimentação saudável voltada para idosos. “Temos alguns ativos que ajudam, por exemplo, na manutenção do sistema imune, como as frutas críticas ricas em vitamina C e Complexo B, como a laranja, a lima, o limão e a acerola, além do própolis encontrado em apresentações líquidas prontas para consumo; os vegetais verde escuro como a couve, jambu, brócolis, rúcula, espinafre, que são potentes antioxidantes; os amarelo-alaranjados ricos em beta caroteno como a cenoura, abóbora e pimentão, entre outros”, cita.

Por outro lado, a nutricionista lembra que os alimentos ultra processados, fast foods, embutidos, enlatados, alimentos em salmoura, frutas preparadas em açúcar, carnes salgadas ou defumadas precisam ser evitados.

CONSUMO CORRETO

Mas além de consumir os alimentos certos e evitar os pouco nutritivos, a profissional destaca que é fundamental também investir no consumo correto. “O açaí, por exemplo, é uma fonte de antioxidantes, rico em polifenóis que auxiliam nos processos orgânicos de detoxificação, porém o excesso de farinhas e açúcar branco refinado reduzem a absorção e o efeito benéfico dele. A melhor forma de consumi-lo seria puro e como uma sobremesa, não como uma refeição, evitando-se o excesso de farinhas e açúcar”, ensina.

Por isso, ela lembra que no caso específico dos idosos, é fundamental que sigam a orientação de um profissional. “Pela própria senilidade, eles já precisam estar em acompanhamento nutricional, porque o processo de envelhecimento reduz a velocidade das atividades naturais do corpo e as disfunções orgânicas, como diabetes, hipertensão, doenças cardiovasculares e câncer, que podem se desenvolver em organismos inflamados se mal modulados. A alimentação saudável individualizada pode atenuar essas alterações ou até mesmo em casos iniciais reverter alguns casos”, enfatiza.

Em alguns casos, além da orientação e acompanhamento nutricional é necessário se fazer uma suplementação. “Quando o indivíduo não consegue atingir suas necessidades nutricionais através da alimentação padrão, a suplementação se faz adequada”, diz.

SUPLEMENTOS

Nos idosos, de acordo com a profissional, é muito comum o uso de suplementos para suprir a necessidade aumentada de proteínas ou calorias “uma vez que a ingestão alimentar é menor em pacientes polimedicados, ou seja, que usam muitas medicações diariamente, o que reduz o apetite e o sabor dos alimentos”, destaca.

MUDANÇA DE HÁBITOS

- Nesse aspecto, a nutricionista alerta também para o uso indiscriminado, sem prescrição nutricional de suplementações. “Elas podem causar uma sobrecarga em órgãos importantes como fígado, rins e gerar malefícios. Por isso a necessidade de ter prescrição nutricional por um profissional nutricionista”, diz.

- Nessa fase da vida, a profissional sustenta ainda que é preciso mudar alguns hábitos. “É fundamental reduzir o consumo de pães brancos e preparações com muito creme de leite e leite condensado e optar pelo jantar ao invés dos lanches no final do dia. Além disso, é preciso tentar manter-se fisicamente ativo mesmo em casa, por conta da pandemia.

- É importante fazer exercícios leves acompanhados de familiares e nunca sozinhos e não esquecer do acompanhamento nutricional, já que muitos profissionais estão fazendo esse trabalho on-line. Fora isso, continuar a seguir cuidados preconizados pela OMS (Organização Mundial da Saúde)”, finaliza.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS