Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

AMEAÇAS

Preso homem que ameaçou juiz de morte por decretar 'lockdown' 

quarta-feira, 13/05/2020, 10:11 - Atualizado em 13/05/2020, 09:11 - Autor: Com informações O Imparcial


O suspeito foi preso na última terça-feira (12).
O suspeito foi preso na última terça-feira (12). | Divulgação

Edson Douglas Oliveira de Freitas, de 29 anos, foi preso ontem (12) no estado do Paraná após ameaçar o Juiz Douglas de Melo Martins, titular da Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís, por ter decretado lockdown na cidade.

A Polícia Civil do Estado do Maranhão, através do Departamento de Combate a Crimes Tecnológicos (DCCT/SEIC), cumpriu dois mandados de busca e apreensão e conseguiu prender, preventivamente, Edson Douglas. O suspeito é maranhense, nascido em Caxias, porém já reside no Estado do Paraná há algum tempo.

A prisão aconteceu em Curitiba e teve o apoio operacional do Centro de Operações Policiais Especiais (COPE), do Paraná.

De acordo com o Superintendente da SEIC, delegado Armando Pacheco, Edson Douglas iniciou as ameaças em dezembro de 2019, por conta de uma decisão do Juiz Douglas de Melo Martins, na qual permitia a participação de deficientes no Curso de Formação de Oficiais.

O delegado informou também uma segunda ameaça, que foi feita por meio de uma rede social, depois que o juiz Douglas Martins decretou o lockdown (bloqueio dos serviços não essenciais) em São Luís e mais três municípios da Região Metropolitana da capital. Em uma das mensagens, Edson Douglas dizia que o juiz iria morrer, caso não voltasse atrás na decisão. Imediatamente, o magistrado pediu investigação à Polícia Civil do Maranhão.

Ameaças de morte

O juiz que decretou lockdown em São Luís, relatou que estava recebendo ameaças de morte após a decisão. Douglas de Melo Martins informou que as ameaças estavam sendo feitas em suas redes sociais.

De acordo como o juiz, muitas pessoas não concordaram com a decisão de confinamento e por isso começaram a ameaçá-lo. Com isso, o magistrado acionou o Tribunal de Justiça do Maranhão e a Polícia Civil.

Ainda segundo o juiz, as pessoas que cometem essas atrocidades são as mesmas que vão às ruas e depois procuram os hospitais, após terem contraído o novo coronavírus.

Segundo o magistrado, as ameaças aconteciam nas suas redes sociais.
Segundo o magistrado, as ameaças aconteciam nas suas redes sociais. Divulgação
 

Divulgação
 

Divulgação
 



Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS