Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

ATAQUE DE FÚRIA

Regina Duarte se descontrola após vídeo de Maitê Proença e abandona entrevista ao vivo. Veja!

quinta-feira, 07/05/2020, 20:14 - Atualizado em 07/05/2020, 20:30 - Autor: DOL


| Reprodução

A secretária Especial da Cultura, Regina Duarte, abandonou uma entrevista ao vivo esta quinta-feira (07), após se irritar ao ouvir uma cobrança da atriz Maitê Proença.   

A atriz concedeu à CNN Brasil no começo da noite. Visivelmente incomodada com algumas perguntas dos apresentadores, ela se descontrolou após ouvir um apelo da também atriz Maitê Proença, acusando os jornalistas de estarem ‘desenterrando mortos’, alegando que o vídeo era de dois meses atrás, o que foi desmentido pelos apresentadores. Duarte abandonou o estúdio logo em seguida.

Regina concedeu entrevista para negar que estivesse de saída do governo, mas, em determinado momento, se irritou quando viu um vídeo de Maitê Proença perguntando quais ações e planos o governo tinha para a classe artística brasileira. Antes mesmo de a fala ir ao ar, a secretária já demonstrava irritação.

"Acho isso baixo nível. Vai botar uma fala...", disse Regina, tendo o áudio cortado para a exibição do vídeo de Maitê. Eu tinha tanta coisa para falar, mas vocês estão desenterrando mortos. Vocês estão carregando um cemitério nas costas. Vocês estão cansados. Fiquem leves”, reagiu Regina.

A apresentadora Daniela Lima respondeu do estúdio. “Não estamos desenterrando mortos. Neste momento, estamos enterrando milhares de brasileiros, inclusive colegas seus”, disparou a âncora.

Veja o momento do desentendimento

DITADURA

A secretária relativizou as mortes ocorridas no período da Ditadura Militar no Brasil. Em certo momento, a atriz foi questionada se havia contradição no apoio dela ao governo de Jair Bolsonaro, após o presidente já ter defendido publicamente figuras históricas do período militar.

“Cara, desculpa, eu vou te falar uma coisa assim: a humanidade não para de morrer. Se você falar ‘vida’ do outro lado tem ‘morte’. Sempre houve tortura, (Joseph) Stalin, quantas mortes? (Adolf) Hitler, quantas mortes? Não quero arrastar um cemitério nas minhas costas”, afirmou ela, emendando com uma cantoria da música “Para frente, Brasil”. 

"Não era gostoso cantar isso?", questionou ela para o jornalista Daniel Adjuto .

 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS