Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

DENÚNCIA ANÔNIMA

Governo de Minas Gerais investiga 23 mortes por suspeita de coronavírus no estado

segunda-feira, 23/03/2020, 23:02 - Atualizado em 23/03/2020, 23:07 - Autor: Com informações do Correio Braziliense


| Flávio Lo Scalzo/Agência Brasil

Segundo uma denúncia anônima, atestados de óbito de uma funerária de Belo Horizonte levantam suspeitas sobre mortes em razão do novo coronavírus. Entre as causas estão: “insuficiência respiratória”, “pneumonia crônica” e “pneumonia aspirativa”. A Polícia Civil e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES) investigam a denúncia. 

Após o registro do B.O pela Polícia Militar, no último domingo (22), policiais se deslocaram até a funerária Zelo, no bairro Nova Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte, para checar a informação de que a funerária teria recebido cerca de 73 corpos, 23 suspeitos de contaminação por coronavírus.  

Em entrevista ao Correio Braziliense, o gerente do local, Sérgio José da Silva, mencionou 73 corpos em 72 horas, sendo 23 mortes por problemas respiratórios. Silva confirmou que o local nunca recebeu tal quantidade de corpos em tão pouco tempo. Ele disse ser um fato atípico em 30 anos de carreira. "Sim, recebemos muitos corpos desde sexta-feira. Dobrou (a quantidade) por conta das mortes por insuficiência respiratória", afirmou o gerente. 

Carlos Eduardo Pereira da Silva, secretário de Estado de Saúde, não acredita que as mortes sejam causadas pelo Covid-19, mas decidiu abrir uma investigação. “Como há essa dúvida, a equipe da Vigilância vai avaliar isso agora. Eu orientei para verificar esses atestados de óbito”, disse o secretário.  

Além disso, Carlos diz ainda que todo caso de internação em hospitais com quadro gripal ou qualquer sintoma que indique contaminação por coronavírus, é imediatamente comunicado aos órgãos competentes para que sejam feitos os testes. 

A denúncia ainda enfatiza, no boletim de ocorrência, que os corpos teriam vindo das cidades de Contagem, Betim, Matozinhos e Sete Lagoas, e também um caso do Hospital Militar de Belo Horizonte. O major Flávio Santiago, porta-voz da Polícia Militar de Minas Gerais, nega o caso relatado de uma pessoa ter morrido no Hospital Militar: “não é verídico", informou o major. 

Por meio de nota, a Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) informou que a situação está sendo avaliada e acompanhada pelos órgãos competentes. “Vale ressaltar que não há, até o momento, nenhum caso confirmado de óbito por Covid-19 no estado de Minas Gerais. Tão logo as informações sejam apuradas adequadamente, daremos os devidos esclarecimentos”, finalizou. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS