Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

AMEAÇA À DEMOCRACIA

Filho de Bolsonaro pergunta se o povo choraria caso bomba atingisse Congresso

quarta-feira, 26/02/2020, 20:36 - Atualizado em 26/02/2020, 20:34 - Autor: Com informações da Época


| Reprodução

O filho do presidente, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), colocou mais lenha na fogueira na crise institucional que o país vive, e decidiu se manifestar sobre os ataques proferidos pelos bolsonaristas às instituições democráticas brasileiras. Eduardo atacou a jornalista Vera Magalhães e afirmou que ela tenta “criar atrito” entre o Congresso e o presidente Jair Bolsonaro. Por meio do Twitter, o parlamentar comentou uma postagem da jornalista em que ela destaca uma declaração de Bolsonaro feita em 2018.

“Se houvesse uma bomba H no Congresso você realmente acha que o povo choraria? Ou você só faz isso para tentar criar atrito entre o Presidente e o Congresso?”, questionou Eduardo.

No post de Vera, a jornalista destacou que Jair Bolsonaro havia afirmado, em 2018, que “haveria festa no Brasil” se “caísse uma bomba H no Parlamento”.

Nesta quarta-feira (26), políticos e autoridades têm criticado o presidente por ele ter compartilhado um vídeo convocando manifestações contra o Congresso. O vídeo exibe a facada que o então candidato à Presidência sofreu em Juiz de Fora (MG) em setembro de 2018, para dizer que o presidente “quase morreu” para defender o País e que agora precisa “que as pessoas vão às ruas para defendê-lo”.

A mensagem que acompanha o vídeo afirma: “- 15 de março/Gen Heleno/Cap Bolsonaro/O Brasil é nosso, não dos políticos de sempre”. Mais cedo, Bolsonaro respondeu às manifestações contrárias à divulgação do vídeo afirmando se tratar de “troca de mensagens de cunho pessoal, de forma reservada”. “Qualquer ilação fora desse contexto são tentativas rasteiras de tumultuar a República”, afirmou.

 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS