Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

INTERIOR DE SÃO PAULO

Marquise cai e mata mulher em centro de compras

sábado, 23/11/2019, 19:12 - Atualizado em 23/11/2019, 19:12 - Autor: FOLHAPRESS


| Divulgação/Bombeiros

A marquise de uma galeria de lojas caiu, matou uma mulher e deixou outra gravemente ferida no início da tarde deste sábado (23), em Penápolis (479 km da capital paulista).

O acidente foi registrado por volta das 12h30 no pavilhão de lojas comerciais localizado na esquina entre as ruas São Francisco e Manuel Bento da Cruz, região central da cidade.

O Corpo de Bombeiros deslocou 15 homens distribuídos em quatro equipes para atender a ocorrência.

Segundo a corporação, as mulheres não se conheciam e foram atingidas no momento em que passavam sob a estrutura, que cedeu. Kézia Cândido, 18, morreu no local.

Já a outra vítima, identificada apenas como Juliana, foi levada ao Pronto-Socorro da cidade. Como o quadro de saúde dela se agravou, acabou sendo transferida para um hospital de Araçatuba (SP).

A primeira suspeita é de que a sobrevivente sofreu uma lesão grave na região de sua coluna cervical.

O local foi interditado para a realização de perícia da Polícia Civil. A Folha de S.Paulo procurou, mas não localizou o representante da galeria de lojas em Penápolis.

OUTRO ACIDENTE

No dia 13, a queda de uma marquise do edifício Vila América, matou um adolescente e deixou outro ferido na capital paulista. O edifício está localizado na rua Bela Cintra, 1.786 (esquina com a alameda Tietê), na região dos Jardins.

Thiago Nery, 17, morreu no local. Ele era aluno do terceiro ano do Colégio Santa Cruz, em Alto de Pinheiros (zona oeste).

O acidente atingiu também outro aluno da escola, identificado como João Tess Portugal, 18, que comemorava o aniversário com amigos no prédio, onde mora, quando o acidente ocorreu.

João teve traumatismo no tórax. Segundo o Hospital Sírio-Libanês, para onde foi levado, ele sofreu uma fratura no tornozelo esquerdo e escoriações.

Moradores do prédio relataram ter sentido um tremor no momento em que a marquise desabou. A garçonete Germana Silva, 20, que trabalha em frente ao prédio, diz ter testemunhado o momento da queda.

Segundo ela, as duas vítimas estavam conversando na porta do edifício quando a marquise caiu. "Do nada despencou. Não deu tempo de eles correrem", conta.

O coordenador da Defesa Civil Marcos Santana afirmou que a marquise tinha em torno de 15 metros de comprimento e "provavelmente estava comprometida por algum tipo de infiltração", o que só será comprovado após avaliação. Já a estrutura do prédio, disse, não foi comprometida.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS