Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Brasil

REQUINTES DE CRUELDADE

Homem é preso após matar tia com rodo na garganta da vítima

terça-feira, 13/08/2019, 18:56 - Atualizado em 13/08/2019, 20:03 - Autor: DOL


| Divulgação Polícia Civil

Um homem de 38 anos, que espancou e enfiou um rodo na garganta de uma idosa de 68 anos, na última quinta-feira (8), foi detido por policiais rodoviários federais e alegou que cometeu o feminicídio porque estava de “cabeça quente”. Ele era sobrinho da vítima. O crime foi cometido na região do Paranoá, no Distrito Federal. 

De acordo com a Polícia Civil do DF, Fábio do Vale decidiu tirar a vida da própria tia, Maria Almeida do Vale, porque ela teria “falado mal” dele e também para se vingar do primo, com quem havia se desentendido algumas vezes.

Após cometer o crime na última quinta-feira, Fábio tentou fugir para a área do Sertão de Pernambuco, mas foi identificado, preso em operação conjunta entre a 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá) e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e reconduzido ao DF.

Vale foi preso pelos agentes da PRF na estação rodoviária de Ouricuri (PE), distante cerca de 620 quilômetros da capital do estado, Recife, na noite de sexta-feira (09/08/2019). Ele estava dentro de um ônibus interestadual no momento da abordagem.

Assassino detalhou crime cruel

Ao ser preso, Fábio narrou aos investigadores como matou a idosa com requintes de crueldade: “Quando entrei no quarto, ela se preparava para dormir, estava só de camisola. Então, usei um rodo para espancar seu rosto diversas vezes. Depois, enfiei o cabo de madeira na garganta dela para ela parar de gemer”.

O feminicida confessou que pretendia passar algumas semanas pulando de cidade em cidade para despistar a polícia. No entanto, a logística montada pela PRF, que contou com várias barreiras policiais e abordagens a ônibus de turismo, fez com que o suspeito fosse localizado antes de chegar ao seu destino. 

As diligências só serão concluídas após peritos do Instituto de Criminalística (IC) finalizarem os laudos de local e médicos legistas terminarem o exame cadavérico. Os policiais querem entender toda a dinâmica da morte de Maria Almeida, já que muitas informações repassadas pelo suspeito não batem com alguns indícios, como marcas de sangue no banheiro e machucados nos pés, joelhos e cotovelos identificados na vítima. Apesar de o quarto onde o crime ocorreu ser muito pequeno, as marcas remetem ao fato de que possivelmente o corpo tenha sido arrastado.

Fábio ainda tentou vestir corpo de vítima

Aos policiais, Fábio contou detalhes do crime macabro.. Após matar a tia, pegou peças de roupa para vestir o cadáver. O objetivo seria camuflar os hematomas e estancar os sangramentos. Ele ainda enrolou um pano no rosto de Maria Almeida e, depois, escondeu o tecido dentro de um capacete. 

(Com informações do portal Metrópoles)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS