Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$
RECONHECIMENTO

Associação do município de Tomé Açu recebe Prêmio Agropará 2020 na categoria Cacau

Premiação foi realizada no final de 2020, reconhecendo o trabalho os produtores, empresário e pesquiadores que mais se destacaram no setor, mas os prêmios ainda estão sendo entregues, de forma individual, devido à covid-19.

quinta-feira, 04/03/2021, 15:35 - Atualizado em 04/03/2021, 16:26 - Autor: Alexandra Cavalcanti/Diário do Pará


Silvio Chibata, presidente da ACTA.
Silvio Chibata, presidente da ACTA. | Irene Almeida/Diário do Pará

O Prêmio Agropará 2020 foi entregue à Associação Cultural e Fomento Agrícola de Tomé Açu (ACTA), destaque na categoria Cacau, na manhã desta quinta-feira (04), na sede do Grupo RBA, em Belém. A premiação, uma das mais importantes do estado para o setor de agronegócio, é um incentivo ao crescimento e desenvolvimento das empresas e entidades ligadas ao setor. Em sua sexta edição, contou com a participação de 51 produtores, empresários e pesquisadores, que concorreram em 19 áreas.  

Por conta da pandemia do novo coronavírus, a premiação precisou passar por algumas mudanças. O nome dos vencedores de cada categoria foi anunciado durante programação especial transmitida pela RBATV e portal Diário On Line (DOL), em dezembro passado, e a entrega da premiação está sendo feita de forma individual para cada categoria.

O prêmio da categoria Cacau foi recebido pelo presidente da ACTA, Silvio Chibata que comemorou a estreia da associação na premiação. “Para nós é muito importante receber esse reconhecimento em um momento como esse em que estamos celebrando, este ano, os 92 anos da migração japonesa no estado”, enfatizou.

Para ele, o destaque na premiação se deve a vários fatores, que envolvem todo um trabalho da entidade feito no município para o crescimento e desenvolvimento do agronegócio na área cacaueira, mas principalmente a uma das grandes conquistas recentes do setor. “Fomos a primeira entidade do estado a conseguir a Indicação Geográfica (IG), em 2019, certificação concedida pelo INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) que é muito representativo para nós”, explica.

A IG reconhece a reputação, as qualidades e as características que estão vinculadas a um determinado local. Como resultado, comunica ao mundo que certa região se especializou e tem capacidade de produzir um artigo/prestar um serviço diferenciado e de excelência. “Ela reconhece que nosso cacau é diferenciado. É plantado de uma forma completamente sustentável, sem agressão ao meio ambiente, sem utilização de queimadas, tanto assim que estamos conseguindo exportar nossas amêndoas para o Japão”, destacou.

O presidente da associação ressalta que o Prêmio Agropará 2020 chegou para coroar todo esse trabalho. “Ele é muito importante para nós porque além da notoriedade alcançada com ele, conseguimos mais visibilidade para mostrar o trabalho que estamos desenvolvendo nessa área de Tomé Açu”, enfatizou.

Atualmente, a produção de cacau é de 500 toneladas/ano e as amêndoas têm como destino o mercado japonês. “Esse crescimento da cultura cacaueira no estado que inclusive já ultrapassou a da Bahia se deve também ao incentivo que recebemos do governo do Estado”, avaliou.

O prêmio Agropará 2020 tem o patrocínio da Agropalma, Banco da Amazônia, Guamá Tratamento de Resíduos e Sebrae.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS