Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias

DESTAQUES

Amazônia acelera os ponteiros do Relógio do Apocalipse; leia mais no Repórter Diários

terça-feira, 04/02/2020, 10:28 - Atualizado em 04/02/2020, 10:29 - Autor: Repórter Diário


Veja os destaques de hoje no RD
Veja os destaques de hoje no RD | Reprodução

A Amazônia brasileira, representada principalmente pelo avanço do desmatamento registrado no Pará, tem responsabilidade na aceleração dos ponteiros do Relógio do Apocalipse, ajustados na semana passada marcando agora 100 segundos para meia-noite – ou o fim dos tempos. É o mais perto que o planeta chegou da destruição desde que o Boletim de Cientistas Atômicos passou a fazer a medição simbólica, em 1947. Até a última medição, o Relógio do Apocalipse marcava 2 minutos para o fim do mundo.

SEGUNDOS

Os cientistas envolvidos no projeto afirmam que, além do risco de uma guerra nuclear, o planeta corre riscos relacionados ao meio ambiente e às mudanças climáticas. O documento divulgado junto com a mudança nos ponteiros chama a atenção para o fato de que o tempo simbólico não é mais medido em horas ou minutos, mas em segundos. Cita o Brasil e a Amazônia como “resposta insuficiente para um clima cada vez mais ameaçado”, com o desmantelamento “de políticas de proteção à floresta amazônica, dando vários passos para trás”.

MAPA

Um mapa virtual organizado pelo Ibama, divulgado nesta semana, aponta 284.235 multados nos últimos 25 anos por desmatamento e permite descobrir os maiores autuados por ano e município no país. Segundo os registros do instituto, 487 pessoas físicas e jurídicas somaram, entre janeiro de 1995 e 31 de outubro de 2019, mais de R$ 10 milhões em multas. Outros 466 brasileiros (ou empresas) receberam autuações que somam mais de R$ 5 milhões. A lista traz nomes de milhares de empresas, banqueiros, artistas, empreiteiros, ex-governadores, colunáveis e pecuaristas.

RECORDISTAS

A maior parte das autuações milionárias ocorre na Amazônia. O mapa dos 25 maiores autuados tem 24 nomes que receberam multas em mais de um ano. A lista é encabeçada pelo Incra e secundada pela agropecuária Santa Bárbara, ligada ao banqueiro Daniel Dantas. Ao longo do mapa, um mesmo nome aparece várias vezes. É o caso do grupo paulista de agronegócios AJJ, que recebeu multas em Rondônia, Mato Grosso, Piauí e, principalmente, no Pará, em registros por município. O mesmo ocorre em 2012, 2013 e 2014, anos em que teve mais de R$ 1 milhão em multas.

DECISÃO

O juiz Luiz Otávio Oliveira Moreira, auxiliar de 3ª entrância respondendo pela 4ª Vara da Fazenda de Belém, suspendeu todas as penalidades que a Prefeitura da capital havia imposto à B.A Meio Ambiente num surreal processo administrativo. A empresa foi proibida de contratar com o município por 12 meses, em razão de caminhões de coleta de lixo terem saído às ruas durante a campanha eleitoral de 2018 com bandeiras do então candidato a presidente Jair Bolsonaro, fruto de iniciativa espontânea dos próprios funcionários.

CORONAVÍRUS

Na próxima quinta-feira, 6, o Sindicato dos Médicos do Pará promove mesa redonda com o tema “Novo coronavírus – Risco epidemiológico e procedimentos”, com palestra da médica Tânia Chaves, da Sociedade Paraense de Infectologia, e moderação da diretora do Sindmepa, Helena Brígido. O evento será realizado no cine-teatro do sindicato, às 19h. Sesma e Sespa já emitiram alertas epidemiológicos sobre o coronavírus, com informes recomendando “máxima atenção aos profissionais de saúde para a identificação precoce de possíveis casos suspeitos”.

LINHA DIRETA

No estilo loroteiro de sempre, o prefeito de Belém foi à Câmara Municipal ontem fazer um balanço de sua pífia administração na abertura dos trabalhos da nova legislatura, aproveitando para debulhar uma série de inverdades sobre os sete tenebrosos anos de gestão tucana.

Encorajado por baba-ovos de toda espécie, o pior gestor da história de Belém teve a pachorra de apontar fictícios “avanços” e fantasmagóricas melhorias, culpando Deus e todo mundo pela desastrosa administração, incluindo o governo federal e a crise internacional. Cara de pau sem limites.

O famigerado Programa Asfalto na Cidade, que tantos prejuízos gerou aos cofres públicos no governo tucano, continua a dar pano para manga. Em Redenção, a Promotoria de Justiça iniciou apuração de supostas irregularidades na execução do programa. O caso está com a promotora Lorena Barbosa de Miranda.

A deputada Marinor Brito, presidente da Comissão de Cultura da Alepa, agradeceu a sanção do governo aos projetos “Programa de Proteção e Promoção dos Mestres da Cultura” e “Ano do Centenário Rui Barata”, prometendo lutar pela criação do Sistema Estadual de Cultura.

Para tornar o ensino acessível aos produtores rurais, a Faculdade de Tecnologia CNA abriu inscrições para cursos de graduação em Gestão do Agronegócio, Processos Gerenciais, Gestão Ambiental e Gestão de Recursos Humanos. Os cursos têm aulas on-line e aplicação de uma prova por semestre, no polo de Santa Izabel do Pará.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS