Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Já era difícil para o Jacaré desde antes do jogo

segunda-feira, 20/05/2013, 05:36 - Atualizado em 20/05/2013, 05:36 - Autor:


A missão beirava o impossível. Com a necessidade de vencer por cinco gols, a equipe do Paragominas encontrou dificuldades desde antes da bola rolar – por conta de um congestionamento na Avenida Augusto Montenegro, a equipe só chegou ao Mangueirão 40 minutos antes da bola rolar, precisando apressar os preparativos para o jogo. Quando subiu ao gramado, foi animador ver que haviam torcedores de Paragominas nas arquibancadas, para apoiar o time, mas a pressão dos 32 mil torcedores bicolores fez muito mais barulho.


O time entrou nervoso em campo, com a necessidade de fazer um resultado, os próprios jogadores pareciam não estar preparados para abrir o placar aos 2 minutos de jogo, como fizeram. No retorno, das comemorações, mal deu tempo de refletir que faltavam mais três gols. O Paysandu passou a atacar constantemente e a equipe do interior tinha cada vez mais dificuldades para defender os avanços, e mais ainda de articular jogadas de ataque.


O primeiro gol bicolor complicou a situação. O segundo deixou o jogo nas mãos dos donos da casa e o terceiro definiu o jogo. Os próprios atletas saíam de campo transtornados após o primeiro tempo. “Temos que fazer alguma coisa nesse intervalo. Nosso time precisa jogar nesse segundo tempo, não tem condições de fazer o que fizemos”, disse o experiente zagueiro San na descida para os vestiários.


O time voltou mais inteiro para o segundo tempo, com uma defesa melhor postada, mas ainda faltava muito. Dificuldades em articular a saída para o ataque, desgaste físico de alguns atletas que se recuperaram de virose e lesões ao longo da semana. Não havia mais como tirar o jogo das mãos do Paysandu, mas o time procurou honrar seu papel – criando situações de ataque e buscando diminuir a desvantagem. Ao final do jogo, enquanto os atletas e comissão técnica bicolor se reuniam para comemorar junto à torcida, os atletas do Paragominas fizeram uma roda no meio do gramado e, entre si, oraram e se retiraram para os vestiários.


“A final não foi exatamente como nós planejávamos, mas esse grupo superou muitas coisas para chegar até aqui. Em apenas um ano de clube chegamos ao vice-campeonato paraense. Essa sensação de derrota não pode nos deixar esquecer isso”, disse Aleílson, que terminou o campeonato como artilheiro da competição, com 13 gols, um a mais que Rafael Oliveira.


FOCO NA SÉRIE D


Antes mesmo do final da partida, não era segredo para ninguém que o pensamento da diretoria do Paragominas já se afastava da decisão do campeonato. O presidente do clube, Jorge Formiga, confirmou na sexta-feira, que o clube estava em negociações para contratação de atletas para disputa da Série D. 


O clube deve promover cinco contatações para a competição nacional - dois zagueiros, um lateral esquerdo, um volante e um meia. O presidente afirma que primeiro vai conversar com o técnico Charles Guerreiro e que os nomes devem ser apresentados ao longo da semana. O técnico é uma das prioridades do clube para a disputa nacional e deve confirmar nesta segunda-feira sua permanência em Paragominas. 


Suspeita-se que o volante Dudu não deve estar nos planos para a Série D. O clube espera conseguir junto ao Corpo de Bombeiros a liberação da Arena Verde para até 10 mil torcedores.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS