Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Contusões no elenco complicam vida do Paragominas

terça-feira, 14/05/2013, 05:39 - Atualizado em 14/05/2013, 05:39 - Autor:


A missão do Paragominas no próximo domingo, quando faz a partida de volta da final do Campeonato Paraense com o Paysandu e precisa vencer por cinco gols de diferença para conquistar o título, é considerada praticamente impossível pelos próprios dirigentes e comissão técnica do Jacaré.


“Se tivéssemos perdidos por um ou dois gols, existia ainda o segundo jogo para buscar o resultado, mas você entrando perdendo de quatro a zero, com torcida incentivando, fica mais difícil”, reconhece o técnico Charles Guerreiro.


Para o complicado jogo, Charles Guerreiro ainda tem dois desfalques consideráveis. O zagueiro Rubran, sofreu uma luxação na mão direita e deve ficar cerca de uma semana em tratamento médico; e o atacante Beá, que desde a semana passada se queixa de dores musculares fortes. Para o atacante, no entanto, existe uma possibilidade de entrar em campo. “O Beá já está liberado para treinar, mas a gente vai ver como ele se comporta nos treinos coletivos durante a semana, porque não podemos colocar um jogador 70%, 80%”, afirma Charles.


Diante das incertezas e dos desfalques, o técnico do Jacaré adianta que pode mudar o esquema de jogo para o reencontro com o Paysandu, domingo, na Curuzu: 4-4-2 ou 3-5-2. “A gente vinha no 4-3-3, porque estávamos com dificuldades na lateral. Então, agora, vou treinar no 4-4-2, que é um esquema que precisa só de dois zagueiros, já que estamos sem um, mas, também vou testar o 3-5-2 ao longo da semana”, assegura.


Charles Guerreiro volta atrás e diz que goleada pode ser revertida


Um dia depois de ver a equipe que comanda, o Paragominas, perder para o Paysandu por 4 a 0, o técnico Charles Guerreiro muda o tom do discurso, embalado pelas críticas que recebeu. Ele afirmou que é praticamente impossível conseguir reverter o resultado. Segundo ele, dizer que o título de Campeão Paraense é uma questão “praticamente impossível” serve até como estratégia. “Se você for analisar, jogar em casa, você tem maior chance de ganhar, mas também pode servir para o adversário achar que vamos entrar ‘mortos’”, se defende Charles.


A declaração não foi vista com bons olhos por parte de membros da imprensa e da torcida de Paragominas, que alegou que o treinador estava entregando os pontos. “Falei uma verdade. Mas, nós vamos entrar para fazer logo um 1 a 0 e, se vermos que dá mais dois, três,quatro (gols), claro que não vamos dispensar a possibilidade de levar a partida para os pênaltis”, afirma Guerreiro.


A diretoria do Jacaré também não repudiou a opinião do treinador. “Não classifico como colocação infeliz. Ele colocou daquela maneira porque estava indignado. Não vi como forma negativa”, assegura Jorge Formiga, presidente do PFC, que prossegue em seu discurso. “Acho que, como ele falou, alguns jogadores devem ter perdido o foco, achando que, por ter ganhado do Remo, seria fácil buscar o jogo em casa contra o Paysandu, que poderia ganhar”, considera Formiga. 


VAI CHORAR AS MÁGOAS


Jorge Formiga, vai dar aquele famoso “puxão de orelha” nos jogadores do PFC na tarde de hoje. “Foi surpreendente. Mesmo sendo uma equipe qualificada, de Série B. Foi um jogo que me deixou muito chateado pela forma que perdemos. Vamos conversar com os jogadores para que isso não aconteça mais”, promete o presidente.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS