Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Alto astral e também troca de socos no Baenão

sexta-feira, 03/05/2013, 06:23 - Atualizado em 03/05/2013, 06:23 - Autor:


Se o Clube do Remo busca aliar cautela e objetividade para o jogo decisivo de domingo, a vantagem de poder empatar para chegar ao título só será lembrada caso necessário. Sabendo que o rival, o Paragominas, irá partir em busca do gol, os azulinos podem usar a pequena vantagem nos minutos finais do jogo. Mas, esse não é o primeiro plano do Leão no Estádio Arena Verde. 


“A gente vai buscar a todo o momento a vitória. Dependendo de como o jogo estiver, vamos pensar no empate lá para o final do segundo tempo. Mas, estamos trabalhando forte, fizemos um bom primeiro jogo, e vamos partir para cima da mesma forma. Se fizermos um gol também, podemos matar a partida”, planeja o lateral-esquerdo Alex Ruan, que segue como titular na ausência de Berg, em tratamento de uma contusão.


O meio-campista Diego Capela concorda com o companheiro, mas ressalta que o principal objetivo é fazer um jogo determinado, tanto na parte tática, como técnica. “O primeiro passe, que era reverter à vantagem do Paragominas, foi dado. Agora, o objetivo é fazer um bom jogo. Nós temos o resultado do empate, mas não estamos pensando nele. Claro que se vier, vamos conseguir a classificação, que é o importante. Mas, o objetivo principal é fazer um bom jogo com determinação e vontade para ser campeão”, aconselha.


Flávio Araújo não quer saber de moleza


O técnico Flávio Araújo deixou o gramado do Mangueirão satisfeito na noite da última quarta-feira. Flávio viu seu time dar o primeiro passe para a conquista da Taça Estado do Pará com o 1 a 0 aplicado no PFC.


Mirando o segundo jogo no próximo domingo, para a satisfação ficar completa, Flávio sabe que precisa aliar cautela com objetividade. Afinal, a vantagem do empate não significa muita coisa. Porém, com desfalques de dois volantes no meio de campo – Nata e Geronimo que levaram o terceiro cartão amarelo – a cautela pode ficar comprometida. Até o reencontro com o Jacaré, Flávio baterá cabeça para decidir a melhor formação tática.


“A dinâmica é essa e não podemos pensar em empate, temos que ter uma aplicação tática porque é o jogo da vida do Remo. Vou estudar o adversário durante esses dias e preparar a equipe da melhor forma possível”, garante o treinador. 


A possibilidade de atuar com um homem de referência, três zagueiros além de povoar o setor de meio de campo com até seis jogadores. Assim, o 3-6-1 é o mais cotada. 


O meia Diogo Capela, que funcionou como único meia nesse esquema, lembra que, como compensação, o Leão ganha o retorno do eficiente Jhonnathan, que atua próximo a Capela. 


Além de Jhonnathan, o volante Tony pode ganhar uma vaga. “Sabemos que são desfalques importantes, mas temos a volta do Jhonnatham e tem o Tony que vem trabalhando forte. Tenho certeza que o Flávio vai montar um bom esquema”, assegura Capela.


Galhardo e Gabriel trocam socos


Praticamente na calada da noite, ou melhor, da tarde, dois jogadores do Clube do Remo brigaram em pleno treino de reapresentação da equipe. O clima esquentou no Baenão entre o zagueiro Gabriel, das categorias de base do Remo, e o meio-campista Thiago Galhardo.


A troca de socos e pontapés ocorreu no fim do treinamento tático de ontem. Galhardo e Gabriel protagonizaram entradas fortes durante o treino. No final, ambos brigaram e foi preciso a ação de companheiros de equipe e membros da comissão técnica para o episódio não ficar ainda mais feio. 


Esse não é o primeiro registro de briga no elenco. Em março, às vésperas da decisão do primeiro turno, o meia Ramon se desentendeu com o volante Nata, em um coletivo no campo de Helinho, em Castanhal. 


Maurício Bororó, diretor de futebol do Remo, disse que a diretoria condena o ato dos dois atletas, mas que entende como uma “briga normal de trabalho”. “Não concordamos com qualquer tipo de violência, mas vamos conversar com os dois atletas para saber melhor o que houve porque foi no final de treino e nem estávamos mais lá. As informações que eu tenho é que foi uma disputa de bola mais ríspida. Todo mundo quer vaga e, logicamente aconteceu esse bate-boca. Mas, vamos chamar os jogadores, conversar para que isso não ocorra mais. Nosso foco é o jogo de domingo”.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS