Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

FPF quer retomar Parazão este final de semana

terça-feira, 09/04/2013, 07:03 - Atualizado em 09/04/2013, 07:03 - Autor:


A expectativa do dia, envolvendo o imbróglio Santa Cruz de Cuiarana x Federação Paraense de Futebol, que paralisou o Campeonato Paraense se dava no Rio de Janeiro, onde a cúpula da FPF realizaria audiência com o presidente do Supremo Tribunal da Justiça Desportiva, Flávio Zveiter e, por meio da exposição de argumentos e elementos de defesa, iriam requerer a suspensão da liminar que paralisa o campeonato. Por volta das 16:40h, o resultado da reunião: segue a suspensão do campeonato e o STJD vai aguardar o resultado do julgamento do TJD-PA antes de confirmar o retorno da competição.


“Após a verificação dos laudos e documentos apresentados pela Federação, o presidente do supremo, Flávio Zveiter, julgou que não haviam elementos suficientes para suspender a liminar”, explicou Antônio Cristino, diretor jurídico da FPF após a reunião. 


O diretor, no entanto, mostrou algum otimismo na sua avaliação após a reunião. “O campeonato aguarda a decisão do TJD-PA, se o veredito for favorável à federação, como foi na primeira instância, a liminar do STJD cai e o campeonato fica livre para recomeçar”, disse Cristino, lembrando que há duas ações a serem julgadas pelo TJD: o mandado de garantia e a anulação da sétima rodada, mas que apenas o primeiro precisa ser derrubado para que o torneio prossiga.


Paulo Romano, diretor técnico da FPF alega que, por parte da Federação, as providências para reiniciar a competição já estão prontas, e que aguardam apenas a autorização do STJD para reiniciar a competição. “Caso o julgamento nos seja favorável, restará a confirmação junto aos órgãos de segurança para um ajuste de logística e reinício da competição. Creio que se o julgamento for realizado nessa quinta, poderemos ter rodada já no final de semana”, afirmou Romano.


Guerra jurídica gera rusgas entre dois advogados 


O diretor jurídico da Federação Paraense de Futebol, Antônio Cristino, afirmou, em entrevista ao programa Bola na Torre, no último domingo, que o jogo Santa Cruz x Paysandu jamais chegou a ser marcado para o estádio Parque do Bacurau, em Cametá. “Não é do conhecimento da Federação que esse jogo em algum momento tenha saído do Mangueirão para o Parque do Bacurau, o que houve foi um interesse nisso”, afirmou o diretor, que chegou a duvidar que o Santa Cruz tivesse posse de algum documento legítimo que comprovasse a marcação da partida para o estádio.


A declaração do diretor jurídico gerou revolta por parte do Santa Cruz. O advogado do clube, André Cavalcante, apresentou um documento, assinado pelo próprio presidente da federação, Antônio Carlos Nunes de Lima, dando conta que “por conta das circunstâncias fomos obrigados a marcar a partida para Cametá”. 


Segundo André o documento derruba a tese de Cristino. O advogado da FPF, no entanto, ao tomar conhecimento do documento, deu declarações a uma rádio desconfiando da veracidade do documento. “Se eles tinham esse ofício desde o início porque só agora ele apareceu e em nenhum momento foi apresentado ao TJD. O que nós temos são documentos que apresentam que havia a intenção de se mudar o local da partida para Cametá, mas em momento nenhum essa mudança foi confirmada” disse Cristino.


André Cavalcante respondeu às alegações de Cristino dizendo “lamentar a conduta do colega, que apela para ataques pessoais”. André afirmou que seu cliente vai recorrer até as últimas consequências para “moralizar” o futebol paraense e que “não importa qual seja a retaliação que o clube venha a sofrer, será pouco próximo da vitória que é retomar o respeito do nosso futebol”.


André concluiu sua fala dando a entender que a disputa jurídica do Parazão 2013 não deve se encerrar com o julgamento do TJD nessa semana. “Desde agora estamos pleiteando outras coisas junto ao STJD. Coisas que, em breve, as partes interessadas tomarão conhecimento” disse o advogado.


Remo pode acabar sendo beneficiado


Caso a disputa jurídica se arraste e o campeonato não seja finalizado antes de 4 de maio, a Federação Paraense de Futebol perde o prazo limite para indicar o representante paraense para a Série D. O artigo 51 do regulamento da competição afirma que o representante do estado Art. 51 – “Desde que não tenha(m) vaga(s) assegurada(s) em Competição Nacional organizada pela CBF, o(s) representante(s) do Estado do Pará, será(ão) o(s) melhor(es)colocado(s) no “PARAENSE 2013”, observados os critérios técnicos”. 


Assim sendo, o maior pontuador, sem vaga em competições nacionais, seria o Remo, atualmente com 36 pontos. Terceiro colocado na classificação geral com 27 pontos, o Paragominas só superaria o Remo em pontuação conquistando 10 pontos entre a semifinal e final de turno. A Taça Estado do Pará teria de ser disputada até antes do dia quatro de maio e o Paragominas teria de conquistar o título do turno – o que lhe garantiria a posição de, no mínimo, vice-campeão estadual e, independente da pontuação, o colocaria entre os dois primeiros da competição.


Alguns dirigentes do Cametá chegaram a ventilar o interesse em requerer a vaga na série D caso o torneio não reinicie até o prazo limite, baseado na colocação do último campeonato estadual, onde o Mapará foi campeão e vendeu sua vaga na competição para o Remo. O diretor técnico Paulo Romano fez desmentiu essa hipótese.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS