Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Remo terá que ser ousado em um jogo perigoso

domingo, 24/03/2013, 09:20 - Atualizado em 24/03/2013, 10:14 - Autor:


Mais do que a vitória na partida de hoje, a partir das 17h, no Estádio Jader Barbalho, São Francisco e Clube do Remo, entram em campo, sobretudo, desejando duas coisas: reabilitação e sobrevivência no Campeonato Paraense 2013. Chegando de derrotas em sequências nos últimos jogos, os Leões do futebol paraense necessitam de uma vitória urgente para respirarem: o Leão da capital não sabe o que é vencer há dois jogos, incluindo o clássico Re-Pa; já o Leão do Tapajós não ganha há nada menos que nove rodadas. 
Com o alerta ligado, os combatentes de hoje vêm com histórias parecidas à respeito de seus treinadores. A diferença entre um e outro é apenas o final. Depois da última derrota para a Tuna Luso, o ex-técnico do São Francisco, Fran Costa, pediu para sair e, assim, a diretoria atendeu. Joacir Moura foi quem assumiu por lá. No Remo, o técnico Flávio Araújo tomou a mesma atitude, porém, a diretoria e os jogadores insistiram e pediram pela sua permanência do comando técnico. E, assim, Flávio continuou. Contudo, parece claro que um novo resultado negativo logo mais pode derrubar de vez Araújo.


Sem se preocupar com isso, o desconhecido novo técnico santareno quer mostrar serviço logo de cara, já conquistando uma vitória na sua estreia. Querendo mudança de postura, o treinador chegou prometendo logo três alterações na onzena. Alguma delas podem ser a entrada de Mário Augusto no meio de campo e de Elielton no ataque. Flávio Araújo, por sua vez, não fica distante do pensamento de Joacir Moura: disse que já recuperou parte da postura competitiva, mas ainda faltam os resultados efetivamente. A principal dúvida do time até sexta-feira estava no meio de campo, o setor mais criticado. A disputa está entre Thiago Galhardo, livre de suspensão, e Clébson, recém-contratado que ainda busca afirmação no time. Qual dos dois Leões irá rugir mais alto?


PRECISA VENCER


Com duas derrotas consecutivas, pedido de saída do técnico e a vaga para as semifinais ameaçada, a diretoria do Clube do Remo botou pressão no plantel. “Vamos passar uma borracha em cima disso tudo e começar um novo campeonato. E ele começa esse domingo, contra o São Francisco. Agora sim não podemos deixar o objetivo escapar”, pede o vice-presidente do clube, Zeca Pirão. 
 


O confronto contra o Leão Santareno acontece em uma fase classificatória, mas pode ser considerado um dos jogos mais importantes para o Leão de Belém nos últimos meses. Uma derrota pode custar todo um planejamento iniciado em dezembro. Mas, pelo Baenão, essa palavra nem mesmo foi pronunciada pelos azulinos.


“Nos próprios vestiários, depois de perdermos para o Paragominas, ficamos com a cabeça erguida. Temos mais dois jogos e o Remo é forte. Nós estamos muito unidos, mas infelizmente os resultados não vieram nas últimas duas vezes. Domingo, vamos dar a cara para bater e vencer de qualquer forma”, assegura o lateral-direito Walber, que, mantido o esquema 3-5-2, tem a função de ser um das armas pela ala direita.Da mesma forma que Berg, pela esquerda. 


 


“No jogo em Paragominas, o campo molhado dificultou nossas jogadas pelas laterais por causa das poças bem no meio do campo. Isso não justifica a derrota, mas, agora, mais do que nunca contra o São Francisco, não só os laterais, mas todos os setores têm que funcionar bem, independente de chuva ou sol”, define Berg.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS