Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Remo enfrenta campanha pelo 4-4-2

terça-feira, 12/03/2013, 03:44 - Atualizado em 12/03/2013, 03:44 - Autor:


Esquema tático sempre foi um tema que gera discussão no futebol. Qual a armação que se adapta melhor? Desde o final do primeiro turno, esse bate-boca vem à tona no Baenão. O 3-5-2, esquema de três zagueiros e um único meia, adotada pelo Clube do Remo, está sendo posto em xeque nos últimos dias. E não é somente o fato de ter perdido o título da Taça Cidade de Belém que exerce pressão.


Além do número elevado de meias no time – recentemente a diretoria contratou mais dois, Diogo Capela e Clébson – o técnico Flávio Araújo já ensaiava a alteração de esquema nos coletivos desde os jogos finais do primeiro turno. Mas, depois de alguns treinamentos e certa expectativa, foi no jogo do último domingo, quando a equipe venceu a Tuna Luso por 1 a 0, que Flávio modificou o esquema. A melhora do desempenho da equipe foi tanta que, na análise posterior à partida, o treinador disse que “só se comesse fezes” teria preferido a equipe no primeiro tempo, quando o Remo jogou no 3-5-2, do que no segundo tempo, quando passou para o 4-4-2.


Na nova armação, o Leão ficou mais solto, com dois meias de armação, Thiago Galhardo e Clébson, que fez sua estreia. Os próprios jogadores parecem preferir o novo esquema. O meia Thiago Galhardo, que no 3-5-2 fica sobrecarregado para fazer as jogadas de ligação, diz, que agora, a responsabilidade está dividida. “Ele (o 4-4-2) te dá mais liberdade para sair para o jogo, porque a responsabilidade fica dividida. Acho que foi um esquema que a equipe jogou melhor contra a Tuna e se o professor (Flávio Araújo) optar por ele, ótimo. Até porque sei jogar mais no 4-4-2. Passei minha vida inteira jogando nele”, afirma Galhardo.


O lateral-esquerda Alex Ruan também concorda com companheiro. “Pensava que no 3-5-2 iria ter mais liberdade para jogar, mas atuei bem melhor no 4-4-2”, diz ele. Para quarta-feira, contra o Cametá, o Remo já pode atuar com novo esquema tático.


É bom abrir o olho, Berg... 


O lateral esquerdo Berg foi expulso na penúltima partida do Clube do Remo contra o Santa Cruz, cumpriu suspensão na partida diante da Tuna Luso, e está apto para voltar nessa quarta-feira, contra o Cametá, no Baenão. Seria ordem cronológica. Mas será que a substituição irá acontecer, depois da boa atuação do substituto Alex Ruan? O atleta, cria das categorias de base do Remo, foi um dos destaques da equipe na vitória em cima da Águia do Souza.


Foi um dos mais elogiados pelo próprio técnico Flávio Araújo ao final da partida. “Ele é um garoto que vinha treinando muito bem e me agradando. Seu primeiro tempo não foi bom, porque o primeiro tempo do time inteiro não foi bom. Mas, no segundo, ele melhorou, jogando muito bem”, disse Flávio.


Para Alex, sem dúvida, é um dos melhores momentos vivido por ele na sua trajetória desde as categorias de base. “Estive trabalhando todo esse tempo para ajudar o Clube do Remo. Fui bem no jogo contra a Tuna, mas vou continuar firme. Fico agradecido pela oportunidade que o professor (Flávio Araújo) vem me dando no profissional, com moral. Fico feliz”, garante.


Mesmo com o bom desempenho, Alex ainda se vê como uma opção. “É uma opção do treinador, ver quem encaixa melhor. Mas, o mais importante é que o Remo esteja ganhando. O Berg tá fazendo um excelente trabalho. Fica tudo a critério do treinador”, acredita.


Mais de meio time pendurado


Com a impressionante sequência de jogos do Campeonato Paraense poucos já perceberam que o próximo domingo é dia do quarto Re-Pa do ano. E, claro, ninguém quer ficar de fora dele, ainda mais para os azulinos, que estão com o Papão engasgado depois de perder o título do primeiro turno aos 42 minutos do segundo tempo.


Porém, grande parte dos titulares corre risco de ficar de fora desse confronto. Tudo porque, nada menos que seis atletas entram em campo na quarta-feira, contra o Cametá, pendurados com dois cartões amarelos. São eles: o goleiro Fabiano, o volante Jhonnatan, o lateral esquerdo Berg, o zagueiro Carlinhos Rech, o meio-campista Thiago Galhardo e o atacante Fábio Paulista. 


Apesar do elevado número de pendurados, o técnico Flávio Araújo não deve poupar nenhum jogador para a partida do meio de semana. Thiago Galhardo, autor do gol da vitória no último domingo, se disse preocupado com a situação, pois não quer ficar de fora do Re-Pa. “Preocupa sim. É um clássico, o maior da Amazônia, e nenhum jogador que ficar de fora. Mas, vamos primeiramente pensar no Cametá”, deseja.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS