Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Iarley treina como titular

quinta-feira, 28/02/2013, 05:20 - Atualizado em 28/02/2013, 05:20 - Autor:


O Paysandu realizou na manhã de ontem, no campo do Kasa, em Ananindeua, o primeiro treino coletivo com vistas ao jogo do próximo domingo, contra o Clube do Remo. As duas equipes empataram em 1 a 1 no primeiro jogo e agora decidem quem fica com a taça Cidade de Belém, o primeiro turno. O Papão luta por uma vitória simples.


Sob o comando do técnico Lecheva, os jogadores foram divididos em dois grupos, e o considerado titular teve algumas mudanças significativas em relação ao time que vem sendo utilizado. A principal delas diz respeito a entrada do atacante Iarley, ao lado de João Neto. Rafael Oliveira foi para o time de baixo, ainda sim marcou um dos gols na vitória por 3 a 0 para os reservas, os demais foram de Alex Gaibu e Billy. O zagueiro Raul retornou ao time titular, e Thiago Costa foi testado na vaga de Diego Bispo. Lineker entrou no posto de Rodrigo Alvim, em fase final de recuperação de uma lesão. 


No decorrer do coletivo, o técnico fez uma pausa e reuniu em separado com os titulares. Na volta, aproveitou para experimentar outro sistema tático, o 4-3-3, tirando o volante Vanderson para a entrada de Heliton, como terceiro atacante. A variação tática, todavia, na opinião do goleiro Zé Carlos não deve fazer grandes mudanças na postura da equipe, embora os bicolores precisem vencer para conquistar o título do primeiro turno.


“Se expor, eu acho que não precisa muito. Acho que você tem que jogar para frente com responsabilidade. É isso que o professor pede em todas as partidas. Se expor é uma maneira arriscada até porque a outra equipe tem qualidade. Vamos ser uma equipe competitiva, a nossa maneira, depois que conseguir um ou dois gols a gente dá uma compactada, mas se expor demais acho que não deve acontecer”, arrisca o goleiro Zé Carlos.


Experiência pode contar a favor do craque


A entrada do atacante Iarley no lugar de Rafael Oliveira foi a maior surpresa do coletivo. Nos últimos jogos, o atleta vinha sendo experimentado como opção para os momentos finais, entre eles o primeiro Re-Pa, no qual conseguiu fazer o gol de empate dos bicolores. Desde então, tem sido comum ouvir o grito das arquibancadas pedindo a estreia imediata do ídolo.


Apesar da novidade, ainda é cedo para prever se Iarley deve ou não começar em campo, haja vista que Lecheva terá pelo menos mais um coletivo nesta semana e a preparação só encerra no sábado pela manhã. Até lá, o veterano precisará suar a camisa. 


“Foi uma mudança normal, de acordo com o pensamento do treinador. Todos são jogadores experientes. O Raul já estava no time e vinha jogando, o Iarley entrou como opção, mas já representa um grande reforço por ser um jogador experiente. Tudo isso é válido”, acredita o meio-campo Eduardo Ramos, referindo-se também ao zagueiro Raul, de volta após suspensão.


Com a entrada posterior de Heliton, o Paysandu passou a contar com três atacantes, o mesmo número de zagueiros utilizados pelo maior rival. A medida seria, em tese, uma tentativa mais ousada de arriscar o time para reverter uma possível desvantagem. Mas, fiel a sua característica, Lecheva só deve divulgar a onzena titular as vésperas da partida.


Concentrado, Eduardo Ramos quer fazer mais


Depois de uma exibição novamente elogiada, o meia-armador Eduardo Ramos garante que o empate cedido aos azulinos no final do jogo poderá ser revertido com o mesmo ímpeto mostrado pelos bicolores. A estratégia de utilizar um jogador de velocidade, como Djalma, e outro com toque de bola mais refinado, dificilmente será alterada.


“A responsabilidade é grande e a gente não pode fugir disso. Mas são coisas do futebol, não adianta falar nada, somente no domingo. O time está sim preparado. Lá, eu tenho certeza que temos condições de fazer um bom jogo e ser campeões”, garante o maestro, que aproveitou para comentar a arbitragem da Fifa em detrimento à local.


“Eu não me preocupo com isso. Na minha opinião, os árbitros daqui não foram ruins nos jogos do Paysandu, eu não vi isso. Mas acho que por parte da diretoria, eles podem se sentir mais seguros assim, não sei. Eu não posso me preocupar com a arbitragem, preciso apenas fazer o melhor em campo”, acrescenta Eduardo, instruído a tentar uma brecha no campo defensivo adversário, mas que tem pela frente dois marcadores de destaque: Gerônimo e Jhonnatan.


“Eles foram jogadores leais. O rapaz que me marcou procurou jogar limpo, e isso é bom para o futebol. Isso é normal, eu preciso procurar algo a mais para sobressair da marcação. A cada dia que passa a marcação fica mais forte, mas eu acredito que estou preparado para me desvencilhar deles e ajudar os colegas do ataque”, encerra.


DM bicolor vai liberar lateral Rodrigo Alvim


Ainda por ocasião do primeiro Re-Pa da final, o lateral-esquerdo do Paysandu, Rodrigo Alvim, reclamou de dores na região posterior da coxa esquerda, porém, preferiu fazer um esforço a mais para continuar na partida. Ao final, o incômodo persistiu e o atleta precisou fazer alguns exames para atestar se havia de fato algum tipo de lesão, mas ontem pela manhã o médico do clube informou que nada grave foi detectado.


“O exame de ultrassonografia, realizado agora pela manhã, não atestou a presença de lesões musculares, por isso teremos mais tranquilidade para continuar o tratamento do atleta e liberá-lo para o jogo de domingo”, disse o médico Wilson Fiel, que está fazendo o acompanhamento clínico com o jogador.


Rodrigo Alvim reclamou de dores ainda no intervalo do clássico e ontem o departamento médico do clube resolveu poupá-lo para evitar maior desgaste. Na função exercida por ele, o técnico Lecheva optou pelo jovem Lineker, meio-campo de origem. 


Alvim, apesar das dores, conseguiu auxiliar nos contra-ataques até o final da partida. A primeira vez onde o ala esquerdo apareceu tão bem quanto ou até mais do que a direita, desta vez mais defensiva. 


O lateral deve permanecer em tratamento fisioterápico até a liberação em definitivo para voltar aos trabalhos com bola.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS