Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Leandro Cearense e Walber vão ser julgados amanhã

quarta-feira, 27/02/2013, 04:26 - Atualizado em 27/02/2013, 04:26 - Autor:


Um dia depois de descobrir que pode ficar de fora da grande decisão do primeiro turno do Parazão 2013 contra o Paysandu, o atacante Leandro Cearense demonstrou confiança na sua absolvição no Tribunal de Justiça Desportiva do Pará (TJD-PA), nesta quinta-feira, 28. Leandro, e o lateral-direito Walber sentarão no banco dos réus por terem sido expulsos no jogo diante do Águia de Marabá, no dia sete de fevereiro, em partida válida pela sétima rodada da fase de classificação da Taça Cidade de Belém.


“Confio na diretoria do Clube do Remo para fazer um bom trabalho e me tirar dessa”, diz Leandro. Os cartolas, por sua vez, já começaram a trabalhar a fim de conseguir sucesso amanhã. Os dois jogadores são titulares e considerados peças importantes no esquema tático do técnico Flávio Araújo. O advogado Luiz Neto, que já foi chefe do departamento jurídico azulino, em 1999, e vice-presidente do clube entre 2000 e2002, é quem prepara a defesa dos dois azulinos. “A diretora deixou hoje (ontem) toda a documentação com fotos e vídeos. Amanhã (hoje), juntamente com a súmula, vou analisar o que aconteceu, conversar com os dois atletas e elaborar a defesa”, ressalta o advogado, por telefone.


Apesar de ainda estudar o caso, Luiz Neto adianta que existe a possibilidade de ambos sofrerem a pena mínima, pois os dois são réus primários. O advogado citou como exemplo o caso do próprio Vanderson, volante do Paysandu, que na segunda rodada do Parazão foi expulso no jogo contra o Paragominas e pegou como gancho somente um jogo de suspensão. “Se eles forem punidos, e assim o tribunal julgar, podem pegar a pena mínima por serem réus primários. Isso aconteceu este ano mesmo com o Vanderson. Se isso acontecer, eles já cumpriram a pena”, conta Neto.


Mas, para isso, primeiro o advogado terá que desqualificar a agressão, passando um artigo que a pena seja de um jogo. Luiz irá pedir para os dois atletas não viajarem com o elenco para Castanhal amanhã. “Minha orientação vai ser que eles fiquem em Belém para estarem presentes no julgamento. Pretendo contar com isso”, deseja.


Poupar pra não desgastar!


O Clube do Remo se reapresentou ontem, após o empate heroico com o rival Paysandu, no primeiro jogo da final da Taça Cidade de Belém. Pela manhã, o elenco remista se dirigiu a uma academia de musculação, localizada no bairro de Nazaré. Já pela parte da tarde, os azulinos foram a um campo no município de Ananindeua, para um trabalho técnico focado nas finalizações.


As duas “novidades” de ontem, porém, serviram no mínimo para deixar o técnico Flávio Araújo em alerta. O volante Jhonnathan e o zagueiro Mauro, titulares do time, trocaram o gramado pelo departamento médico do Leão. Jhonnathan sentiu dores fortes na panturrilha, após o clássico de domingo; Mauro, por sua vez, tem a coxa esquerda incomodada por uma dor. Os dois continuarão sendo poupados dos treinos até esta quinta-feira, quando serão reavaliados.


Mas, Jhonnathan garante que domingo estará pronto para a final, já que, segundo ele, não se trata de nada grave. “Após o jogo senti uma dor na panturrilha, falei com os médicos, que acharam que seria melhor eu ficar sem treinar alguns dias, para que eu esteja 100% no domingo. Quinta-feira vou fazer novo exame para rever a lesão, mas certamente vou ter condições de jogo. A dor já passou, mas é melhor prevenir agora do que ficar de fora de uma final”, diz o volante.


Caso não ganhem aval dos médicos, Flávio Araújo ganhará dois novos problemas que podem ser somados com os desfalques do atacante Leandro Cearense e o lateral-direito Walber, que serão julgados nesta quinta-feira, no Tribunal de Justiça Desportiva do Pará (TJD-PA), totalizando quatro mudanças forçadas no time que enfrentará o Papão.


Mudança de atitude foi fundamental 


O Clube do Remo conseguiu um empate milagroso aos 46 minutos do segundo tempo, no primeiro jogo da final da Taça Cidade de Belém. Um dos motivos para o empate quase que tardio do time azulino pode ser o fato de ter invertido a maneira de jogar em relação às últimas partidas. Ao invés de começar marcando forte, a equipe preferiu buscar o gol. Pelo menos é o que defende o volante Gerônimo.


“Acho que nesse jogo tivemos outra postura e saímos para o jogo, buscando logo o gol. Foi o contrário do que vínhamos fazendo. O gol sofrido no primeiro tempo também contribuiu para isso. Mas, o Remo, para mim, é um time que, primeiro, tem que marcar para depois jogar”, analisa.


Jogador de contenção do meio de campo e, por conta disso, um dos marcadores mais exigidos, Gerônimo contou que ficou responsável por não sair da cola do meia Eduardo Ramos, considerado o grande maestro do time bicolor.


O volante confessou que Ramos deu trabalho no primeiro jogo. Foi dele o passe para o gol do Papão. “O contra-ataque deles era rápido e muitas vezes não dava tempo de chegar nele (Eduardo Ramos), que é um jogador habilidoso, e ainda recebia o apoio dos volantes. Mas, isso é algo que, com certeza, o professor Flávio (Araújo, técnico), vai consertar essa semana”, confia.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS