Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Clima amistoso reinou na arquibancada

segunda-feira, 25/02/2013, 05:38 - Atualizado em 25/02/2013, 05:38 - Autor:


Não é de hoje que o Re x Pa é conhecido por mudar a rotina da cidade. O clima fica com um ar de rivalidade e mesmo aqueles que não são tão fãs do esporte bretão penduram suas bandeiras em janelas e tiram o uniforme empoeirado do armário. O trânsito é modificado para que o fluxo no estádio fique mais fácil e o acesso dos torcedores não se torne travado. Mas o ponto ruim do maior clássico do futebol nortista sempre foi um calo no sapato dos verdadeiros apreciadores do futebol: a violência gerada pelos confrontos entre as duas maiores torcidas do Estado. 


É comum ouvir o relato de brigas generalizadas nos arredores do estádio em dias de Re-Pa, o que sempre serviu para alimentar o discurso dos que falam que futebol gera violência. Mas para aqueles que generalizam os torcedores com vândalos, o espetáculo desse domingo foi de fazer inveja aos grandes clássicos mundiais.


Desde a chegada ao estádio era notória a tranquilidade na qual o ambiente estava. Remistas e bicolores caminhavam entre os setores externos sem sair da provocação saudável que sempre foi uma marca registrada do futebol. Entre os torcedores, podiam-se notar aqueles que ainda buscavam incitar o antigo espírito de violência, enquanto portavam camisas de torcidas organizadas banidas e faziam gestos e gritavam em alto e bom tom os nomes que hoje em dia não deveriam mais ser verbalizados. A coragem dos mesmos logo se esvaía quando membros da polícia passavam.


O policiamento também estava digno de nota neste domingo. Em número massivo, membros do policiamento do estádio fizeram valer a ordem nas filas e organização da estrutura do mangueirão.


Dentro do campo, o clima de provocação e rivalidade continuou, mas sem nenhuma exaltação por parte de ambos os lados do estádio. Um Re-Pa para ficar na memória dos torcedores. Talvez não pelo nível técnico, mas pelo clima de futebol de verdade, sem apelação e sem violência.


E que venha outro clássico para a torcida paraense dar um show, de amor, de coração e da cordialidade entre os rivais.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS