Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Esporte / Parazão

Parazão

Goleada levantou a euforia da fiel na Curuzu

segunda-feira, 18/02/2013, 07:01 - Atualizado em 18/02/2013, 07:01 - Autor:


A julgar pela tarde, novamente chuvosa, o jogo não premeditava boa exibição devido ao estado ruim do gramado. Porém, engana-se quem subestimou o arranque do Paysandu, que não tomou conhecimento do São Francisco e enfiou uma sonora goleada de 6 a 1, garantindo a primeira vaga na grande final da Taça Cidade de Belém, o primeiro turno do Campeonato Paraense.


Mal o árbitro Joelson Silva dos Santos decretou o início do espetáculo, o Paysandu começou o massacre. Aos dois minutos de jogo, Rafael Oliveira oportunamente roubou a bola do zagueiro na entrada da área, avançou em direção ao goleiro e chutou no canto esquerdo, 1 a 0. Era só o início. A missão do Leão Santareno, se já era difícil, tornou-se quase impossível quando a espinha dorsal bicolor mostrou seu cartão de visitas.


Yago Pikachu desarmou o adversário e lançou Djalma. Este, rapidamente, pela direita, encontrou Rafael Oliveira, que adentrou pela zaga e encontrou João Neto na pequena área. O atacante só teve o trabalho de driblar o zagueiro e ampliar, 2 a 0. Dois minutos depois, novamente Rafael Oliveira estava lá, não para servir, e sim arrematar o cruzamento de Rodrigo Alvim pela esquerda, 3 a 0. O massacre inicial só terminou aos 19 minutos, quando João Neto completou o cruzamento de Yago Pikachu pela direita e entre os dois zagueiros, 4 a 0.


Depois do tornado que devastou a defesa mocoronga, o São Francisco pôde respirar, só que por aparelhos. O time seguia desordenado, os laterais avançaram sem coordenação, deixando a zaga desguarnecida e aberta. Os poucos lances sequer deram trabalho ao goleiro bicolor. Para não dizer que foi tudo perfeito, Lecheva perdeu o zagueiro Raul, que tomou o terceiro cartão amarelo e o São Francisco fez o gol de honra depois do pênalti sofrido por Elielton. Caçula bateu bem e diminuiu, 4 a 1.


No segundo tempo, Lecheva, mais calmo, mudou o time. Colou Lineker e Thiago Costa nos lugares de Eduardo Ramos e Raul, respectivamente. O inacreditável só reapareceu quando Rafael Oliveira resolveu perder dois gols incríveis, um de cabeça e outro após cobrança de escanteio. 


Contudo, na noite do ataque ainda teve espaço para o meia Djalma, que aos 10 minutos ajeitou a bola no campo adversário, escolheu o canto e soltou um belo chute alto, sem chance, como de praxe, 5 a 1. Os últimos suspiros do agonizante São Francisco ainda saíram através de Caçula, de falta, e Boquinha, ambos para fora. Se o suspiro não foi suficiente, o castigo foi impiedoso. Aos 17, para sacramentar o show alviazul, Rafael Oliveira entrou na área, driblou o goleiro Jader, deslocou os zagueiros e, sem ângulo, bateu pela esquerda, 6 a 1.


Leia mais no Diário do Pará.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS