Esporte / Pará

SORTE E COMPETÊNCIA

Em título, Clube do Remo tem heróis improváveis

Segunda-Feira, 22/04/2019, 08:22:32 - Atualizado em 22/04/2019, 08:41:01 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Assim como em 2015, o Clube do Remo meteu novamente 2 a 0 em cima do Independente de Tucuruí para levantar a taça do Campeonato Paraense. A diferença, desta vez, foi em cima dos atletas que ajudaram com seus gols o Leão: Yuri, volante, e Alex Sandro, atacante, heróis improváveis, devido ao posicionamento e utilização ao longo da temporada, respectivamente.

Yuri abriu o placar. (Foto: Wagner Santana)

Alex Sandro marcou o segundo gol da partida. (Foto: Wagner Santana)

O primeiro tento, marcado por Yuri, logo no começo da partida, foi uma espécie de reparo que o destino proporcionou, a exemplo da falha de Marcão no jogo de ida, com o de ontem tendo como alvo o goleiro Redson, ao perder o tempo da bola. Ao deixar tudo igual no marcador agregado, o gol do volante permitiu o Remo a ter mais tranquilidade na condução da partida.

Para o volante, a contribuição foi sem igual. “Foi por isso que eu voltei. Já disse e repito, essa camisa cai muito bem em mim e sempre vou fazer de tudo para eu deixar ela melhor ainda. A gente apanhou a semana inteira, muita gente duvidou. Mas é o que falo: não importa ser tão bom, o que importa é ser campeão”, comentou.

Alex Sandro, homem do gol do título, que após ficar boa parte das partidas entre os reservas, viu a sua estrela brilhar quando acionado, ao bater limpo em chute cruzado e marcar o seu segundo gol com a camisa azulina.

Para o atacante, a brecha foi resultado de trabalho duro. “Só nós sabemos o que passamos nessa semana. Mas a cobrança de nós mesmos foi ainda maior. Me preparei, sabia que a minha hora ia chegar. Estava até triste, mas não deixei de trabalhar. Graças a Deus fui feliz em marcar e ajudar nessa conquista”, relatou.

SAÍDA

Ao conquistar o seu primeiro título com o profissional, o zagueiro Kevem, de 18 anos, ao final da partida, confirmou o que já havia se desenhando desde o seu gol de bicicleta contra o Paragominas, ainda pelo primeiro turno: a sua saída do Baenão.  Conforme o defensor, a partir

da próxima semana ele deverá seguir novos rumos na carreira. “Essa foi a minha última partida com a camisa do Remo. Chegou ao fim o ciclo e devo ir para outro clube”, destacou o atleta, sem adiantar o destino. “O que vale agora é celebrar essa conquista, que é muito importante para minha carreira, pra minha família e pra esse clube que eu sou grato”.

(Matheus Miranda/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL