Esporte / Pará

DEFESA FORTE

Paysandu e a ordem para continuar sem tomar gols

Domingo, 17/03/2019, 08:06:05 - Atualizado em 17/03/2019, 08:42:48 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Paysandu e a ordem para continuar sem tomar gols (Foto: Jorge Luiz/ASCOM PSC)
O goleiro Mota não tem a sua meta vazada há cinco partidas (Foto: Jorge Luiz/ASCOM PSC)

No mês em que completa 34 anos de idade, o goleiro Mota espera manter a marca positiva que vem ostentando em sua passagem pelo futebol da região Norte, onde ele atua pela primeira vez. O arqueiro fará aniversário no dia 23, véspera do segundo Re-Pa do Parazão, e espera levar a marca de não sofrer gol para o grande clássico. “Espero que esses 34 anos sejam de muita alegria e muita benção e que eu possa alcançar os meus objetivos aqui no Papão”, afirmou.

Mota está há quase dois meses sem sofrer gol. São cinco jogos invicto. A comemoração pela invencibilidade da defesa bicolor, no entanto, não é apenas do goleiro. Os demais jogadores do setor também comemoram o feito, mas todos eles ressaltam a importância dos jogadores dos demais setores no feito. “A nossa marcação começa com os jogadores de ataque, passa pelo meio de campo até chegar à defesa”, ressalta o zagueiro Victor Oliveira. “A colaboração é de todos”, assegura.

LEIA TAMBÉM: Papão volta a campo e espera que a lua de mel continue

Na verdade, os três compartimentos do time têm se doado uns aos outros. O atacante Nicolas, por exemplo, tem chamado a atenção por ser visto com frequência dando combate nos armadores e atacantes adversários. Por outro lado, os defensores, em retribuição, têm colaborado com o ataque, como ocorreu no jogo contra o São Francisco, quando os zagueiros Victor Oliveira e Micael marcaram gols. “Existe uma boa colaboração entre os setores do time. Isso tem colaborado muito para a campanha de nosso time”, lembra Micael.

E MAIS...

Os jogadores do Paysandu torcem, e muito, para que o sol não reine tão forte durante o jogo de hoje, contra o Castanhal. Os bicolores sabem que enfrentar a temperatura alta em Belém requer um esforço bem maior das equipes, como aconteceu diante do Bragantino, na primeira apresentação do time neste horário. Durante a semana de preparação para a partida, o técnico João Brigatti, que já se mostrou contrário a esse horário, mas acata a decisão da diretoria, procurou adaptar bem o time à temperatura.

O lateral-esquerdo Diego Matos reconhece que jogar pela manhã exige um esforço maior dele e de seus companheiros de equipe. “Domingo será um jogo diferente. A quentura, o calor de Belém, por isso a mudança nos horários dos treinos para ir acostumando, mas nossa equipe é qualificada e sabemos que quem entrar em qualquer posição vai dar conta do recado”, ressalta o defensor, que vem aproveitando bem a brecha deixada pelo titular da posição, Bruno Collaço, que deixou o Departamento de Saúde do clube recentemente.

(Nildo Lima/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL