Esporte / Pará

APOIO

Técnico bicolor abre as portas para presença da Fiel em treino

Quinta-Feira, 19/07/2018, 08:07:30 - Atualizado em 19/07/2018, 08:07:30 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Técnico bicolor abre as portas para presença da Fiel em treino (Foto: Fernando Torres/Paysandu)
(Foto: Fernando Torres/Paysandu)

O técnico Guilherme Alves e seu auxiliar, Jorge Raulli, conhecerão, hoje, um pouco da força da torcida do Paysandu, quando o time bicolor fará, na Curuzu, a partir das 16h, o seu penúltimo treino para encarar o Oeste-SP, no sábado, em Barueri. Diferente das vezes anteriores, desde que as atividades do elenco passaram a ocorrer de portões fechados, o torcedor não precisará fazer a doação de alimentos não perecíveis para ter acesso ao local. O simpatizante bicolor, por sua vez, poderá conhecer um pouco mais de perto a maneira de trabalhar do novo comandante da equipe.

A decisão de liberar os portões para a entrada do público partiu do próprio técnico, que pretende contar com a “mãozinha” do torcedor na árdua missão que tem para fazer a Fiel voltar a sonhar com o acesso à Série A de 2019. De quebra, quem for ao estádio também poderá ver em ação o mais novo contratado do clube, o atacante Lúcio Flávio, que começou a treinar ontem. É possível até que outro novato, o, também atacante, Victor Rangel, o Vitinho, como também é chamado, também esteja presente. O atleta já teria sido contratado pelo clube, mas até ontem não foi anunciado à imprensa.

Já faz algum tempo que o torcedor do Papão não presencia treinamento de seu time. A última vez que isso aconteceu foi no feriado do dia 1ª de maio, quando o grupo se preparava para enfrentar o Sampaio Corrêa-MA, em São Luis, três dias depois, partida que terminou com o empate, por 1 a 1, com o Papão deixando escapar a vitória nos últimos minutos. A volta do torcedor aos treinos do time agradou ao meia Alan Calbergue.

“É a oportunidade de o torcedor constatar que estamos focados e lutando no dia a dia”, afirmou o meio-campista. “Esse é o momento da torcida apoiar, porque a gente precisa, assim como qualquer equipe que passa por um momento delicado como este que estamos vivendo, mas que podemos dar a volta por cima com esse apoio”, discursou o jogador, que, pelo que se tem visto nos treinamentos do elenco, tem remotas chances de começar a partida contra o Oeste.

(Nildo Lima/Diário do Pará)





Comentários

Destaques no DOL