Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Esporte / Mundo

Mundo

Caio Henrique volta às origens como lateral no Fluminense, mas Simeone quer vê-lo no meio

quarta-feira, 26/06/2019, 10:05 - Atualizado em 26/06/2019, 10:05 - Autor:


Fernando Diniz encontrou a solução para a lateral esquerda do Fluminense ao improvisar Caio Henrique, mas outro técnico, bem longe, espera ver o jogador em sua posição de origem no segundo semestre: Diego Simeone.

O treinador do Atlético de Madrid acompanha o desempenho de Caio no Brasil e o scout colheu bons números do meio-campista, porém, a expectativa do clube espanhol era emprestá-lo para acompanhar o rendimento como volante.

Mesmo com a lateral esquerda como uma das posições mais carentes no mundo, Caio Henrique espera por mais oportunidades no setor onde se acostumou a jogar.

“Estou me adaptando cada vez mais na lateral esquerda. Joguei assim na equipe B do Atlético de Madrid. Comecei assim na escolinha, não é algo tão novo. Quando entrei no Santos (na base), entrei de ponta-esquerda, fui meia e segundo volante. No Atlético, fui primeiro volante, fui para a seleção de base assim. Me sinto melhor, mais adaptado, pela característica de sair jogando com bom passe. Sou quem arma, não quem finaliza as jogadas. Sou mais volante do que meia”, disse Caio, em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva. 

“A gente sabe que lateral é difícil de se encontrar no mercado, mas não penso em ser efetivado. Estou à disposição do Fluminense onde professor pedir, mas não fecho portas. Quem faz mais de uma posição é mais valorizado. Busco me aperfeiçoar, temporada longa traz lesões e desfalques e é importante jogar em outras funções”, completou.

Na maioria das vezes pela ala, Caio se tornou intocável sob o comando de Diniz. Ele participou de quase todos os jogos no primeiro semestre.

“Foi acima das minhas expectativas. Início de ano muito bom, meu e de toda equipe do Fluminense. Estamos surpreendendo pelo futebol que jogamos. Individualmente, rendo bem, com muitos minutos. 34 jogos em 35 na temporada”, afirmou.

Caio Henrique ainda falou sobre a passagem frustrada pelo Paraná, a saída precoce do Santos e comparou Fernando Diniz com Diego Simeone. Veja abaixo. 

Rebaixamento no Paraná em 2018

“No Paraná, como as coisas não foram bem no conjunto, isso me prejudicou um pouco, meu futebol não se sobressaiu como esperava. Com Fluminense bem, individual melhora. Estou evoluindo, jogo bem como a equipe. Conjunto bem faz o individual aparecer”. 

Fernando Diniz x Diego Simeone

“Tenho tido uma experiência muito boa com Fernando Diniz, esquema diferente, de privilégio pela bola, com muitos passes, legal de jogar. Ele e Simeone são diferentes, mas são parecidos na intensidade. Diniz tem a posse, Simeone defende mais visando o contra-ataque. Treinos são intensos, cobram muito, tiram o máximo do jogador”.

Dificuldade financeira do Fluminense

“Os problemas extracampo são complicados, problema grave financeiro e político. Passei por isso no Paraná. Tento trabalhar pensando só no futebol, para não influenciar em campo. Espero que as coisas se resolvam logo. Discurso do novo presidente foi bem positivo, torcemos para quitar as dívidas e a gente possa trabalhar com tranquilidade. Por tudo que está acontecendo, estamos fazendo um grande trabalho, mostrando que isso não entra no campo. É a diferença para o futebol europeu, isso lá não existe com maior poder financeiro e organização. 

Futuro

“Eu tenho contrato de empréstimo com o Fluminense até final do ano, só penso no Fluminense, e meu vínculo com o Atlético de Madrid vai até 2021. Segundo semestre será muito difícil, teremos sequência grande de jogos com Sul-Americana e Campeonato Brasileiro. Espero fazer um grande trabalho, firme, e se ofertas aparecerem deixo para o estafe cuidar”.

Fonte: Gazeta Esportiva

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS