Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Esporte / Mundo

Mundo

Venezuela bate Bolívia e se classifica para a próxima fase da Copa América

sábado, 22/06/2019, 18:10 - Atualizado em 22/06/2019, 18:10 - Autor:


Com um futebol vistoso diante da Bolívia, a Venezuela venceu por 3 a 1, na tarde deste sábado, no Mineirão, em duelo válido pela terceira rodada do Grupo A da Copa América. Com dois gols de Machís e um de Martinez, a equipe avança ao lado do Brasil.

O resultado classificou o time venezuelano para a próxima fase com cinco pontos conquistados. O Brasil ficou em primeiro com a vitória por 5 a 0 sobre o Peru, que ficou pelo caminho. A Bolívia também deu adeus a competição sem sequer pontuar: três derrotas, apenas dois gols marcados.

A Venezuela volta a campo na próxima sexta-feira, no Maracanã, pelas quartas de final da Copa América. A equipe ainda espera seu adversário que será o segundo colocado do grupo B: Paraguai, Catar e Argentina brigam pela posição.

Primeiro tempo

Não foi possível sequer fazer uma analise primária das equipes antes que o zero do placar fosse tirado. Nos primeiros toques na bola, a seleção da Venezuela conseguiu um ótimo ataque e no primeiro minuto balançou as redes. Fruto de uma ótima jogada pela direita com cruzamento para Marchís que se antecipou com muita qualidade ao zagueiro e mandou para o fundo das redes, sem chances para o goleiro Lampe.

Após o tento é possível, portanto, fazer uma analise. O time da Venezuela, depois de fazer frente ao Brasil no duelo dentro do grupo, agora mostra a qualidade no meio campo. Praticamente todas as bolas de ligação defesa ao ataque passavam pelos pés de Savarino e Añor, atletas que mudavam de posição e se alternavam na esquerda e direita. Importante ressaltar também a diferença que fazia Machís em campo, não apenas pelo gol, mas também pela postura em campo, dando velocidade nas pontas.

A Bolívia não conseguia se encontrar na partida. O meio campo era fraco, as bolas custava a passar pelos defensores iniciais da Venezuela e, quando isso acontecia, raramente a redonda chegava em condições para Marcelo Moreno aproveitar alguma coisa.

Em uma das chances, a Bolívia levou perigo aos 7 minutos. Em uma chegada despretensiosa, Arano chutou forte e exigiu que o goleiro Fariñez fizesse a defesa. A bola ainda pegou na trave antes de ficar com a defesa.

Apesar da chegada com qualidade da Bolívia, a equipe venezuelana seguia muito superior em campo, sem grandes problemas defensivos e com o setor criativo bastante produtivo, com boas chegadas e investidas.

Aos 28 mais uma grande chance da Venezuela. Em chegada pela esquerda, Machís passou em disparada na ponta esquerda e cruzou com qualidade, mas Añor finalizou para fora.

Em busca de dar mais firmeza para seu meio campo, Eduardo Villegas colocou Raul Castro na vaga de Leonardo Vaca. E funcionou com mais mobilidade e, aos 38, um chute forte na trave, um dos poucos sustos da defesa venezuelana.

Segundo tempo

À volta para o intervalo foi assim como no primeiro tempo. O jogo se desenhou com uma Bolívia enfrentando muitas dificuldades para chegar ao ataque e a Venezuela com facilidades e um futebol mais vistoso.

Aos 9, a Venezuela conseguiu ampliar a contagem que já era favorável. Novamente com Machís e um belo gol. O camisa 7 recebeu a bola na esquerda, carregou a redonda em direção a área e chutou para superar o arqueiro pela segunda vez na partida.

E mesmo com o tento, a Venezuela ainda era melhor. Com mais intensidade, agressividade e chegadas perigosas contra a meta boliviana. Aos 19, por exemplo, Soteldo colocou a bola na medida para Rondón, mas o centroavante perdeu o gol feito. Dois minutos além, foi a vez de Machís receber a pepita e soltar um voleio, mas novamente a sorte esteve do lado dos bolivianos.

Aos 30, o atacante Marcelo Moreno pediu para sair. Ao que parecia algo ruim para a Bolívia, virou. A equipe cresceu de rendimento na frente, tendo mais flexibilidade. Aos 36, os bolivianos chegaram ao primeiro gol, com Justiniano que chutou no cantinho.

Mas não demorou até a Venezuela conseguir ampliar. Em ótima jogada de Soteldo na esquerda, a bola chegou na medida para Josef Martínez que deu um leve toque na bola e acertou a lateral da rede e saiu para comemorar mais uma vez.

FICHA TÉCNICA
BOLÍVIA 1 X 3 VENEZUELA

Local: Mineirão, em Belo Horizonte (MG)
Data: 22 de junho de 2019, sábado
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Esteban Ostojich (URU)
Assistentes: Nicolas Taran (URU) e Richard Trinidad (URU)
VAR: Nestor Pitana (ARG)

Gols: Machís, no primeiro minuto de jogo e aos 9 do segundo tempo, Josef Martínez, aos 41 do segundo tempo (Venezuela); Justiniano, aos 36 do segundo tempo (Bolívia)
Cartões: Raul Castro, Justiniano (Bolívia)

Bolívia: Lampe; Diego Bejarano, Haquin, Jusino e Marvin Bejarano (Roberto Fernandez); Justiniano, Arano, Saucedo, Ramiro Vaca, Leonardo Vaca (Raul Castro), Marcelo Moreno (Gilbert Alvarez)
Técnico: Eduardo Villegas

Venezuela: Fariñez, Hernández, Chancellor, Mago, Rosales, Moreno, Rincón, Machís (Martinez), Savarino, Añor (Soteldo), Rondon (Murilo)
Técnico: Rafael Dudamel

Fonte: Gazeta Esportiva

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS